terça-feira, 31 de março de 2009

PATRIMÔNIO HISTÓRICO DE ICÓ: SOBRADO COM MIRANTE DOS MAGALHÃES.


DICA DE LEITURA: “SEM MEDO DE VENCER”.

Sugiro aos leitores deste canto de página, como livro de cabeceira da semana, “sem medo de vencer”, de autoria do médico Roberto Shinyashiki.

Médico, com pós-graduação em gestão de negócios, é uma pessoa atenta aos acontecimentos dos nossos tempos.

Nos seus trabalhos Roberto Shinyashiki procura auxiliar as pessoas em sua busca afetiva e, principalmente, na realização de seus sonhos.

Os seus livros incentivam o ser humano a refletir sobre temas como felicidade, sucesso e equilíbrio pessoal.

Neste extraordinário livro, ele explica o que significa sucesso.

O que é sucesso para você?

Para muitas pessoas, sucesso é sinônimo de um emprego que garanta status, poder e dinheiro. Para outras, significa ter qualidade de vida e passar mais tempo ao lado da família.

Nessa história, não há certo nem errado. Tudo, na verdade, depende de sua proposta de vida, daquilo que você almeja. Todos nós vivemos situações de sucesso e fracasso ao longo dos anos.

A boa notícia é que sempre há tempo para mudar. (sic).

(Roberto Shinyashiki - sem medo de ser vencer. Editora Gente).


segunda-feira, 30 de março de 2009

PADRE JOSÉ AUGUSTO NÃO PERDE A PIADA

José Augusto do Nascimento nasceu em Icó (CE), há 73 anos, no distrito de Cruzeirinho, zona rural. Inquieto, diferente dos demais irmãos, iniciou sua vida como agricultor. Depois, já rapaz, dedicou-se ao rebanho bovino, na condição de vaqueiro.

Nunca negou esta sua primeira vocação, a de ser vaqueiro, sentindo o cheiro do estrume e da natureza. Do sertão. Do povo matuto e sofrido do nordeste.

O tempo seguiu...depois de profundas reflexões, afirmou ter sido tocado por Jesus de Nazaré, onde se foi embora do torrão, entrou no seminário, estudou durante anos no Estado da Bahia, para ser Padre da Igreja Católica.

Retorna ao Icó. O vaqueiro José, agora cede lugar ao Padre José Augusto. De logo a comunidade católica passou a notar que não se tratava de um religioso igual. Irreverente, meio-maluco, folclórico, sem papas na língua, carismático e de muitas atitudes, fazia (e faz) ao seu modo as suas pregações religiosas no templo da Igreja.

Ganhou aliados e desafetos. Este escriba teve discussões acaloradas com o Padre José Augusto. Afastavam-se por um tempo, mas sempre havia reconciliação. Outros também tiveram as suas divergências.

Porém, ninguém pode deixar de reconhecer uma das inúmeras qualidades do Padre José Augusto: NUNCA FOI FALSO MORALISTA. Os seus ideais, os seus sentimentos, eram expostos sem dobrar esquina.

Exerceu por vinte e cinco anos o sacerdócio em Icó, até aposentar-se há três anos. Cada família deste rincão tem uma história a contar do Padre José Augusto.

Ele me casou e batizou os meus dois filhos. Fiz questão que fosse o Padre José Augusto, pois, assim como muitos, prefiro as missas sem formas e padrões. As pregações simples, no improviso, são (palavras) vindas do coração.

Hoje é Padre emérito do Icó (aposentado). Tem profundas divergências com o atual sacerdote, o Padre Bonfim, a quem o acusa de muitas coisas, principalmente de perseguição e de querer calar a sua voz. De impedir os seus trabalhos.

Afirma em sua retórica, na Igreja, que o mestre Jesus foi perseguido por falar a verdade e, também, por fazer política socialista em defesa dos oprimidos. “É somente isto que eu faço. Jesus brigou com os poderosos, defendeu os oprimidos. Se isto é fazer política...vou então fazer política”, afirma o Pe. José Augusto.

A Igreja Católica, mais precisamente o bispo de Iguatu, por sugestão escrita do padre atual de Icó e de outros, queriam impedir o Padre José Augusto de celebrar em Icó. O "mote" era que José Augusto desviava-se da pregação e preceitos oficiais católicos.

Depois de muitos problemas, principalmente da certeza que a comunidade católica não aceitaria tal situação, que estava preparando um levante, resolveram então ceder-lhe a Igreja do Monte, para suas celebrações.

Doravante, o Pe. José Augusto tem feito o seu trabalho religioso (missas), livre de amarras de qualquer natureza na secular Igreja do Monte, inclusive, transmitida ao vivo na Rádio Brasil-FM, onde fala o que defende e pensa.

Finalmente, perguntaram ao Pe. José Augusto se ele gosta do novo local de trabalho (?).

Eis a resposta: "Aqui é ótimo. Fica defronte ao Terminal Rodoviário. Se quiserem me colocar pra fora do Icó, pego logo o ônibus. Ao lado do hospital regional, pois, se me açoitarem, me agredirem, durmo logo por lá. Ao lado do cemitério municipal. Se me matarem, o enterro será bem rápido".

Este é o PADRE JOSÉ AUGUSTO DO ICÓ.

NOVA CATEGORIA PROFISSIONAL: OS VOLUNTÁRIOS.

Icó é mesmo um país. Historicamente nasceu com vocação para ser país e embora tenha sido fracassada a tentativa da “República do Icó”, durante o período da Confederação do Equador, os ideais libertários parecem ter continuado, pelo menos nas regras e leis que norteiam a cidade.

Por isto mesmo não pode ser comparada a nenhuma outra cidade, nem da região, nem de alhures. Durante o tumultuado governo que passou, todo um novo acervo legal saído da própria lavra foi colocado em uso, agora começa nova fase. A novidade vem por conta da nova categoria funcional criada no município: os voluntários.

A idéia da realização de obra administrativa pública à base do voluntariado nasceu com a revolução Cubana sob a égide de Che Guevara, depois se espalhou pelo mundo por diversas razões e agora está nascendo em Icó, gerada, supostamente, pela consciência daqueles que ajudaram o prefeito Marcos Nunes chegar ao poder.

Segundo informações chegadas a esta coluna o prefeito tem colocado que durante os próximos seis meses não haverá emprego para ninguém, principalmente em se tratando de contratados, categoria abolida do serviço público, salvo casos raros, motivados por ações emergenciais e após autorização da Câmara Municipal.

Todavia, há muita gente esperando o cumprimento das promessas de campanha e não querem esperar tanto tempo para se sentiram amparadas pelas mãos generosas do município. Entram com a conivência dos secretários, que também se sentem responsáveis por eles, bravos colaboradores das noites eleitorais, e estão marcando seus lugares nas diversas secretarias.

Estão lá. Trabalhando ou não, mas estão lá garantindo o lugar. Não assinam ponto e sabem que não receberão salários, mas são valorizados como voluntários do Icó. Neste extraordinário episódio duas coisas se destacam: que povo bom este do Icó!

Como é fácil ludibriar uma população necessitada, semi-analfabeta, sem perspectiva e politicamente ignorante! Que Deus proteja os voluntários do Icó, para que tenham vida longa e possam ser voluntários por muitos anos.
(Texto de Getúlio Oliveira).

ICÓ É NOTÍCIA COMPLETA 1 ANO NO AR

Neste dia 30 de março de 2009 o ICÓ É NOTÍCIA completa um ano no ar (http://www.icoenoticia.com).

Nós icoenses, temos motivos para comemorar, pois, é um grande marco de esperança, quando um grupo de jovens audaciosos, estudiosos, amantes do Icó, se reúnem com responsabilidade, para prestar informação de qualidade para o mundo.

Vários temas são discutidos naquele site: esporte, religião, história, política, polícia, social, justiça, educação, saúde, entreterimento, humor, etc, confirmando o compromisso com a sociedade.

Com mais de 80 mil acessos, o ICÓ É NOTÍCIA já faz parte do nosso cotidiano, aliás, de muitos espalhados em nosso Brasil e fora dele.

Portanto, registro com alegria a passagem deste primeiro natalício, na certeza que a capacidade, a maturidade e, o entusiasmo desta moçada, vai crescer muito nos anos vindouros.

Parabéns. Sucesso a valorosa equipe do ICÓ É NOTÍCIA.

Equipe: Washington Luiz Peixoto Vieira, Yuri Guedes, Antonio Pereira, Ícaro Lavor, J. Justo, Antonio Jotta, Silvina Monteiro Brasil, Akyles, Victor Luiz, Folha Do Salgado, Edilson Fernandes e Paulo Henrique.

domingo, 29 de março de 2009

DRA. MABEL VIANA MACIEL: EXTRAORDINÁRIA MAGISTRADA.

Não preciso de forma nem padrão para escrever sobre a conduta exemplar de nossa juíza Mabel Viana Maciel, titular do Juizado Especial Cível e Criminal da Comarca de Icó.

Registro que me sinto a vontade, pois, minha militância advocatícia na Comarca icoense, em quase sua plenitude, encontra-se centrada na Vara Única, cuja titularidade recai sobre o Dr. Luiz Carlos Saraiva Guerra.

Há 15 anos formei em direito. De logo aprovado na Ordem dos Advogados do Brasil em boa colocação. Sempre busquei uma linguagem forense, respeitosa, em nossos petitórios.

Nunca adentrei as salas dos juízes Drs (as). Mabel Viana Maciel e Luiz Carlos Saraiva Guerra, para, genuflexo, pedi qualquer benesse que não estivesse esposada em lei. Data vênia, pela retidão de nossos juízes, a acolhida só seria repleta de sucesso, se o pleito também fosse fulcrado em lei.

Não tenho qualquer liberdade pessoal com os juízes de Icó. O respeito é recíproco pelo trabalho e desenvolvimento judicial individual, cada um com seu talento e capacidade intelectual.

Jamais usarei o direito que não seja para servir a justiça e a liberdade.

Dra. Mabel Viana Maciel é um exemplo de Magistrada. Correta-honesta, célere, responsável, corajosa, significa um incentivo a todos os operadores do direito em Icó e, por não dizer, na federação.
Discreta, chega ao trabalho por volta das 8:00h; não se envolve pessoalmente com ninguém. As suas decisões, nunca são contestadas; pois, tendo em vista o seu caráter de boa formação acadêmica e familiar, as suas sentenças fazem parte do seu convencimento jurídico, sem pressão de quem seja.

Dra. Mabel Viana Maciel consegue ser unanimidade em respeito na Comarca icoense, tanto dos advogados como dos constituintes, por suas atitudes de cidadã, de operante magistrada.

Dra. Mabel: a sua conduta, as suas atitudes, as suas decisões, demonstram um profundo conteúdo de esperança.





MOACIR BRASIL: PROSA E VERSO EM ICÓ NO DIA 09 DE MAIO.

Marconiza e Moacir Brasil não querem saber de crise. Nem mundial nem local. Amantes da poesia têm o maior programa de audiência da região no gênero: show de viola.

Todo domingo acordamos com prosa e verso. Canta Geraldo Amâncio, Oliveira de Panelas, Paulo Nascimento, Antonio Hélio, Moacir Laurentino, Valdir Teles, Sebastião da Silva, Ivanildo Vila Nova dentre outros festejados poetas do mundo, que prestigiam Moacir e Marconiza, através da Brasil-FM, patrimônio do povo icoense.

Os poetas agora não querem cantar apenas “lá”, nos estúdios da emissora Brasil, desejam desta vez cantar “cá”, pertinho do povo, tudo no improviso popular.

Visando resgatar, preservar, difundir ainda mais a cultura sertaneja, o programa SHOW DE VIOLA traz ao Icó a “4ª. NOITADA DE VIOLAS, PROSAS E VERSOS”, dia 09 de maio de 2009, a partir das 20:00h, no Cabana Clube de Icó, com VALDIR TELLES E SEBASTIÃO SILVA.

Vamos prestigiar este universo mágico da cantoria popular.


TV RECORD EM ICÓ

Uma equipe da TV-Record encontra-se em Icó há uma semana fazendo uma reportagem, exclusiva, sobre nosso rico patrimônio histórico.

O nosso festejado historiador Afonso Altino (foto) acompanha os trabalhos, a convite da emissora, para que os fatos vividos no passado, um dia ostentoso, não saia diferente de sua real história.

Já fizeram várias filmagens, ouviram pessoas do povo, principalmente aquelas que têm algum fato verídico a contar dos nossos antepassados.

Recentemente, o jornal O POVO também veio ao Icó fazer uma reportagem sobre nosso acervo cultural.

Diariamente a Casa de Cultura Mariinha Graça, localizada na Rua Ilídio Sampaio, recebe dezenas de estudantes universitários, buscando fotos, fatos e o desejo de conhecer de perto a história do Icó.

Buscarei maiores informações com este extraordinário cidadão chamado AFONSO ALTINO.



O NOVO BRINQUEDINHO DE LUXO DOS PREFEITOS

Este carrão importado é o novo brinquedinho de alguns políticos do Ceará. Chama-se Land Rover Discovery e custa R$ 300.000,00 (trezentos mil) reais.

O mais engraçado, é que os discursos deles (dos políticos-prefeitos) em emissoras de rádio, são uma choradeira só. O FPM caiu, a crise chegou, vamos atrasar salários dos servidores. Enfim, o dinheiro não deu...não sobrou.

Nada contra vestir-se bem, ter um bom carro, uma residência agradável, mas que esta opção de luxo, sem patrulhamento ideológico, se faça com suas rendas. Compatível com seu imposto de renda, fruto de seu digno trabalho.

Em algumas cidades, o prefeito recém-eleito, sequer tinha profissão cotidiana. De repente, num passe de mágica, surge com carros de luxo, fazendas, etc...

Como é fácil entender que algo se encontra errado. A própria ostentação pública demonstra a possível corrupção.

O site transparência Brasil, há alguns anos, já orientava os munícipes como fiscalizar a conduta dos gestores públicos. O simples exemplo em referência é um “mote” fácil de distinção de mudanças pró-patrimônio dos eleitos, após as eleições.

Finalmente, já chegou alguma LAND ROVER DISCOVERY em Icó?



sábado, 28 de março de 2009

JAIME JÚNIOR: “O ICÓ PERDEU COM O CONTINUISMO”.

José Jaime Bezerra Rodrigues Júnior (Jaime Júnior), 46 anos, casado com a dentista Adriana Santana, pai de dois filhos, administrador de empresas e estudante de Direito. Atualmente trabalha no Instituto Prisma em Fortaleza. Na política, preside o Partido Social Democrata Cristão (PSDC), de Icó, onde colocou seu nome como candidato a prefeito nas últimas eleições (2008), obtendo uma expressiva votação. Algo em torno de 48% dos votos válidos.

Jaime Júnior concedeu entrevista exclusiva para o BLOG QUE FALA SÉRIO, onde na oportunidade, fez observações da conjectura política atual e quais os seus passos para o futuro.

BLOG: O SENHOR FICOU FRUSTRADO COM O RESULTADO DAS URNAS?

JAIME JÚNIOR:
De maneira alguma. Estou na vida pública do Icó há pouco mais de oito anos. Desenvolvi com resultado positivo a Chefia de Gabinete da Prefeitura, fui em seguida eleito Vice-Prefeito e, pelas mãos da justiça, cheguei a ser Prefeito de Icó por quase nove meses. Os nossos adversários estão há décadas no poder, inclusive, fazendo clientelismo e achincalhando as consciências dos humildes com os próprios recursos públicos. Por este ponto de visto, me sinto um vitorioso, fiz a minha parte sem vender minha alma, bem como fiz parceria apenas com a ordem institucional.

BLOG: O QUE FALTOU PARA VENCER AS ELEIÇÕES?

JAIME: O modo de operar dos “Nunes” em época de eleição\campanha é o mesmo. Promessa, poder econômico vultoso, associado ao empreguismo sem limites. Quando o então prefeito Cardoso Mota, através duma liminar, retornou a prefeitura e entregou de mão beijada os cofres e a administração a Neto Nunes, já esperávamos que tudo pudesse ocorrer. Neto Nunes não tem régua, limites, para as conseqüências, principalmente o cheque sendo assinado por Cardoso. Encaminhou um projeto de lei à Câmara de Vereadores e daí, quase metade do Icó, na zona urbana e rural, estava empregada, mesmo sem receber nada. É a lei da oferta e da procura. Não existe ideologia para barriga vazia.

BLOG: E QUILON PEIXOTO?

JAIME: Este, enfim, se revelou para sempre. Mostrou qual é o seu verdadeiro perfil de cidadão e de político. Dr. Quilon não estava obrigado a votar em mim. Mas unir-se a Neto Nunes, Oriel Nunes, e a todos aqueles que o humilharam por décadas, que o ameaçaram até de morte, não poderíamos esperar por tal decisão, completamente isolada de sua história. Esqueceu seus amigos e sua própria trajetória. Dr. Quilon é um homem altamente ciumento. Se uniu aos Nunes porque sempre preocupou-se apenas com seus familiares e consigo mesmo. Pouco se importa para com o Icó. No juízo de Quilon e Neto Nunes, se eu fosse eleito era um basta às oligarquias tradicionais em vigor, ao continuísmo sem graça alguma, a corrupção desenfreada. Hoje, de líder político forte, virou apenas um cabo eleitoral dos antigos desafetos.

BLOG: MAS O POVO ACHA QUE DR. QUILON FEZ A DIFERENÇA NO RESULTADO...

JAIME: Fez. Não posso negar. Quando iniciamos as articulações para as possíveis candidaturas, contratamos várias pesquisas para saber as intenções de voto do povo icoense. Em todas elas, haja vista o nosso trabalho a frente da prefeitura, que estava sendo aprovado com grande potencial, segundo as pesquisas, colocava-nos em extraordinária colocação ao lado de Neto Nunes. Dr. Quilon no máximo chegava a 4% dos votos. Já não representava grande coisa. Ocorre, que numa disputa de apenas dois candidatos, quando você retira o voto de um, leva em dobro para o concorrente. Foi o que houve. Dr. Quilon conseguiu convencer os seus “poucos” seguidores a votar em Marcos Nunes, até os mais radicais. Perdi por 4%, então.

BLOG: É DIFICIL ADMINISTRAR O ICÓ (PREFEITURA)?

JAIME: De jeito nenhum. Fiz um pacto com o povo e com as pessoas realmente comprometidas com o trabalho, com o respeito e zelo da causa pública. Durante nove meses cumpri as metas governamentais, como pagamento em dia dos servidores e credores, limpeza da cidade, iluminação na zona rural, fardamento para as crianças, casa do cidadão, merenda escolar, transporte, etc, sem nunca ter me queixado de nada. A expressão “estou arrumando a casa”, não a citei em nenhum momento, como no presente com nossos adversários sempre pedindo prazos ao povo. Quem tem competência e compromisso, inicia os trabalhos e mostra os resultados bem rápidos. Agora, com corrupção no setor público, nunca vai sobrar dinheiro sequer para as obrigações institucionais.

BLOG: O QUE O SENHOR ESPERA DE MARCOS NUNES?

JAIME: Falo sem rancor algum. Não posso esperar nada do Marcos Nunes, pois, na verdade, ele é um “bom - vivam”. Nunca trabalhou, nunca estudou na vida. Governar é fazer opções sempre em defesa das aplicações corretas do dinheiro do povo, ter controle e serenidade, responsabilidade e juízo. Buscar o diálogo e interagir com a sociedade. Marcos Nunes não tem noção da responsabilidade que entregaram em suas mãos. É muito jovem, muito vaidoso. Antes mesmo de assumir a prefeitura, por volta de novembro, já desfilava num potente automóvel PRADO, com placas com numeração 1515, que era o número de sua candidatura. Dar tapinhas nas costas, mostrar um sorriso fácil, não vai ajudar os graves problemas do Icó. Entendo, que parte da população cometeu um erro em continuar com Quilon, Neto Nunes, Oriel Nunes, votando em Marcos Nunes. O tempo nos confirmará esta previsão.

BLOG: EXISTE OPOSIÇÃO EM ICÓ?

JAIME: Após encerrar as eleições e o meu mandato de vice-prefeito, em dezembro-2008, agradeci aos icoenses pelo apoio, pela ajuda e confiança. Daí, como não sou profissional da política, fui trabalhar para sobreviver com dignidade e sustentar meus filhos e as obrigações cotidianas. Como a política e a campanha encontram-se bem vivas em Icó, o pessoal tem reclamado um “vazio” da minha presença constante. Porém, acho que tudo tem seu momento. Marcos Nunes embora tenha continuado o mesmo trabalho de Cardoso Mota, tem que ser dado um tempo a ele, pois, como não sabe de nada, alguém tem que ensiná-lo. Rubens Brasil, Dr. Fabrício Moreira, o vereador Flamarion Pereira, têm sido nestes primeiros momentos, os grandes opositores da gestão Marcos-Charles. A oposição está se formando normalmente, a partir do momento que o povo já observa que nada vai mudar. Os outros quatro vereadores da oposição, Gilberto Barboza, Edjalma Moreira, Maria do Cal e Zé de Creuza, estão também fazendo sua parte de olhos abertos para os verdadeiros problemas.

BLOG: JAIME JÚNIOR É CANDIDATO A DEPUTADO ESTADUAL?

JAIME: Esta pergunta escuto todos os dias, pessoalmente e por telefone, se serei candidato a Deputado Estadual. O Icó vive um momento excelente em termos de posições políticas. Pois, hoje as pessoas já podem escolher nomes que não sejam apenas o de Dr. Quilon e\ou Neto Nunes. A nossa candidatura fez despertar que algo novo pode ocorrer, além das forças oligárquicas. Tenho conversado muito com as pessoas. Nunca tive pretensões além das minhas condições eleitorais, bem como deixei os nossos amigos livres para verem o melhor caminho. Sai duma campanha agora. Tranqüilo é verdade, mas com muitos projetos a partir daquele momento (outubro-2008), que ficaram pendentes. Poderei ser candidato, como qualquer pessoa de bem que não esteja atrelada aos Nunes-Motas e Peixotos. Entendo que a pessoa que mais reúne condições e competência para dar um show na Assembléia é a do Dr. Fabrício Moreira. Advogado, refinado orador, conhece os bastidores da política como pouca gente em Icó. Com Dr. Fabrício eleito, Neto Nunes e a Assembléia, “iriam observar com quantos paus fazem uma canoa”. Se não for possível esta candidatura, estaremos sentando com todos os amigos para vê o melhor caminho. O tempo contará as regras.

BLOG: ENTÃO, O SENHOR ACHA QUE É MELHOR ESPERAR 2012?

JAIME: Quero deixar bem claro: qualquer um dos nossos amigos que tenham bom perfil político e administrativo pode ser o nosso candidato a prefeito. Não tenho idéia fechada de um nome “só”. Porém, se eu continuar bem politicamente falando, sendo acreditado pelo povo, que viu no meu nome o desenvolvimento, vamos para a disputa, para vencer com qualidade.

BLOG: O SENHOR NÃO ACHA QUE AS URNAS JÁ SE MANIFESTARAM POR MUDANÇAS NAS ÚLTIMAS ELEIÇÕES?

JAIME: Acho. Aliás, tenho certeza. Se uniram todos os caciques, com dinheiro e poder, com muita gente trabalhando diuturnamente. Eram cabos eleitorais em todos os recantos do Icó. Se a eleição fosse igual, os Quilons e os Netos iriam levar a maior surra da história. Mas o sinal foi dado. Explico. Lúcio Alcântara venceu as eleições do José Airton por apenas 2.750 votos para Governador. Na segunda disputa, Lúcio perdeu por mais de 1 milhão de votos. O aviso já foi dado. Já estamos contando o tempo. Aguardem-nos.

BLOG: QUAIS OS PROJETOS DAQUI PRÁ FRENTE?

JAIME: Não trabalho para um “Icó cada vez pior”, como os nossos adversários sempre fizeram. Quilon queria o fim de Neto. Neto queria o fim de Quilon. No final, o Icó era quem perdia. Não somos radicais. Os bons projetos de Marcos Nunes, os vereadores da oposição vão votar a favor sem problema algum. Irei com nossos amigos fazer a nossa parte. Temos Deputado Federal e votamos em Cid Gomes para o governo do Estado. Então, vamos continuar trabalhando nestes quatro anos para trazer recursos para o Icó. A dificuldade será apenas fazer uma vigilância no cumprimento daquilo que trouxermos para o Icó. Só para se ter uma idéia, até hoje o prefeito não prestou contas do dinheiro que entrou na prefeitura em janeiro e fevereiro de 2009. Até hoje nunca prestou contas dos recursos públicos junto à câmara de vereadores, nem foi às rádios informar cada centavo que entra e sai, apesar de ser proprietário de uma emissora. Como prefeito, mensalmente fui a Rádio Brasil-FM, ao - vivo, informar à população o que entrava e aonde eram aplicado o erário municipal.

BLOG: O SENHOR SOUBE DA DEMISSÃO DA SECRETÁRIA IVANA CARLA NICOLAU?

JAIME: Soube. Recebi a notícia sem surpresa. No governo Neto Nunes, todos os secretários que eram gestores, permaneciam pouco na administração. A regra em geral, para eles, é que o “jogo” tem que ser feito sem limites. Como eles não têm medo de justiça, Ivana já saiu tarde. Aliás, por sua conduta de gente de bem, não deveria nem ter assumido um abacaxi tão enorme, onde os recursos são fiscalizados pelo TCU, Procuradoria da República, Polícia Federal, e outros mecanismos enérgicos. É esquisito a forma que eles desejam para uma secretaria tão importante, que ensina o lê e escrever das nossas crianças, e que emprega quase todos os servidores municipais. Ninguém jamais saberá a verdade realmente. Dona Norma Ferreira, pessoa correta, também deixou a secretaria e até hoje ninguém de fato soube o que houve. Não quero profetizar, mais ainda vai haver muitas mudanças, sempre em troca da qualidade para o fazer da “política”. Convenhamos, Ivana professora saiu; Gildomar da agricultura entrou. Perfil totalmente distante do que se necessita para a gestão educacional. O resultado: o Icó entre a pior educação do Estado.

BLOG: COMO SERÁ O PALANQUE ESTADUAL DE JAIME JÚNIOR?

JAIME: Tudo que se comenta hoje é hipótese do que deve ou não ocorrer. Votei em Cid Gomes por consciência, pois, entendo ser ele um competente gestor, além de ser sério e honrado. Tudo indica, independente dos nossos adversários, é que Cid Gomes apoiará o nosso trabalho político, mesmo eu não sendo prefeito. Espera-se um bom mandato do Cid nestes dois anos vindouros. Estaremos dando apoio ao seu nome e esperamos reciprocidade de compromisso. Com confiança, as coisas acontecem de forma natural. Finalmente, eles terão os seus candidatos a deputado estadual e federal e, nós, teremos os nossos bem diferentes. Apenas o candidato ao governo será o mesmo de todos.

BLOG: PARA CONCLUIR, EXISTE UMA UNANIMIDADE EM ICÓ, QUE O SENHOR FEZ UMA GRANDE GESTÃO ADMINISTRATIVA NA PREFEITURA. O SENHOR SE INSPIROU EM ALGUÉM?

JAIME:
Nunca neguei que desde que cheguei ao Icó, às pessoas me informavam e comentavam que a última, aliás, que a única administração que prestou foi a do Dr. Aldo Monteiro. Há décadas Aldo já trabalhava com visão futurista. Este foi um ponto. Depois me cerquei de uma grande equipe de secretários, servidores capacitados, caras novas e comprometidas. Nós mostramos, que se não roubar o dinheiro público, dar para resolver quase tudo. Só não fomos mais longe porque a PMI estava sempre inadimplente, pela irresponsabilidade administrativa de Neto e Cardoso, como também a insegurança do fica e sai. Reconheço também que a gestão Agenor Neto, do Iguatu, foi o exemplo que busquei para as minhas próprias ações. Tudo de bom que Agenor fazia em Iguatu, procurei fazer no Icó também. Não deu outra: sucesso administrativo e reconhecimento popular.

BLOG: QUAL A MENSAGEM QUE O SENHOR DEIXA AO POVO DO ICÓ?

JAIME: De eterna gratidão e reconhecimento pela acolhida extraordinária deste povo para comigo. Hoje me sinto cada vez melhor de espírito, pois, sei avaliar as dificuldades, as alegrias e tristezas, o sucesso e o desencanto, com mais maturidade. Foi a maior experiência que tive na vida, esta eleição de 2008. Aprendi muito a avaliar as adversidades. Sou uma pessoa sem rancor. Centrada, com pé no chão. Não faço aventuras. Respeito as pessoas, a minha família, os amigos. Até pensei, em janeiro de 2009, em deixar a política partidária. Mas seria abandonar este povo bom do Icó. Por isso, irei continuar. Senti a fortaleza do povo icoense em meu favor, quando fui abraçado aos milhares na festa de São Sebastião, em Lima-Campos; reunião da emancipação em Icozinho, onde fui saldado com centenas de fogos de artifícios; na missa de São José, no Cruzeirinho. Enfim, as manifestações em cada rua e sítio do Icó, são enormes, grande sinal de incentivo e apoio. Vamos continuar juntos meu estimado povo do Icó.

OITO PRESOS FOGEM DO PRESÍDIO IMPROVISADO DE ICÓ ATRAVÉS DE UM TÚNEL.

Uma fuga de presos em massa aconteceu pela madrugada de hoje (28\03), em uma das celas do presídio improvisado de Icó.

Através de um túnel escavado dentro da cela, Giliarde Alencar de Aguiar, José Nildo Pereira de Araújo, o Zé de Dodó; Ivan Bezerra Rodrigues Acioli, Francisco Alexandre Bezerra, conhecido como capão, recordista em fugas; Juraci Lima da Silva Bezerra e José Cláudio Neves Silva, o Garçom; Willian de Souza Bezerra e Manoel do Nascimento Pereira de Oliveira, evadiram-se para lugar incerto e não sabido até o momento.

Todos são acusados de homicídios, tentativas de homicídios, furtos, tráfico e assaltos. O sargento Erivelton Paulino e seus comandados iniciaram diligências e conseguiram recapturar Juraci Lima, Manoel do Nascimento e Willian de Souza.

Tudo isso ocorre enquanto o presídio oficial continua sendo construído, segundo populares a passos de tartaruga. Esta não é a primeira vez que ocorrem fugas no presídio improvisado, deixando os moradores que residem nas suas proximidades em clima de pânico.

(Reportagem de Richard Lopes, repórter policial e correspondente do Jornal Diário do Nordeste).

sexta-feira, 27 de março de 2009

CENTRO HISTÓRICO DO ICÓ.


O ANALFABETO NA INTERNET...

Confesso aos meus blogueiros (visitantes deste canto de página) que sou analfabeto em internet. Este blog foi criado por iniciativa nossa, é claro, mas com apoio e entusiasmo do jornalista Lindomar Rodrigues.

Organizamos os textos. Após as correções de praxe, estes são postados, por sua equipe, gratuitamente. Não consegui, ainda, desvendar as burocracias da internet-blog.

Diante desta situação, sugeri ao meu companheiro de blog, uma forma de inibir as mensagens, postadas no mural, de cunho eminentemente pessoal e agressiva.

Na segunda-feira, segundo o meu postador, o mural da confusão, sofrerá uma triagem antes de qualquer publicação.

Como tem se observado, com a democracia atual das mensagens, também passo a ser vítima de tal situação.

Portanto, sem polemizar, as provas estão vistas a todos.

Um abraço aos icoenses do mundo, pois, “os erros buscam sempre as soluções”.

CARTEIRAS ESCOLARES: O EXEMPLO QUE VEM DO IGUATU

Com o objetivo de atender a demanda de carteiras escolares e com o firme propósito de oferecer melhores condições de permanência dos alunos da rede pública municipal de ensino em sala de aula, a Prefeitura Municipal de Iguatu através da Secretaria da Educação, investiu R$ 117.500,00 na compra de 2.500 novas carteiras que já estão sendo entregues nas escolas.

Todas as escolas da zona rural e sede urbana serão contempladas com a ação.

De acordo com a secretária de Educação, Benildes Uchoa o montante de carteira disponibilizada atende a atual demanda deste equipamento nas unidades de ensino.
(Blog do Lindomar).

quinta-feira, 26 de março de 2009

MERENDA ESCOLAR EM ICÓ

O Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), implantado em 1955, garante, por meio da transferência de recursos financeiros, a alimentação escolar dos alunos da educação infantil (creches e pré-escola) e do ensino fundamental, inclusive das escolas indígenas, matriculados em escolas públicas e filantrópicas.


Seu objetivo é atender as necessidades nutricionais dos alunos durante sua permanência em sala de aula, contribuindo para o crescimento, o desenvolvimento, a aprendizagem e o rendimento escolar dos estudantes, bem como promover a formação de hábitos alimentares saudáveis.


O PNAE tem caráter suplementar, como prevê o artigo 208, incisos IV e VII, da Constituição Federal, quando coloca que o dever do Estado (ou seja, das três esferas governamentais: União, estados e municípios) com a educação é efetivado mediante a garantia de "atendimento em creche e pré-escola às crianças de zero a seis anos de idade" (inciso IV) e "atendimento ao educando no ensino fundamental, através de programas suplementares de material didático-escolar, transporte, alimentação e assistência à saúde" (inciso VII).


Este é o preâmbulo para que vocês possam entender um pouco sobre os recursos da merenda escolar, enviados a quase 6 (seis) mil municípios brasileiros.


O período letivo do Icó iniciou-se em fevereiro\2009.


Passados vários dias, o que se constata é que a merenda escolar, principal responsável pela manutenção do alunado em sala de aula, máxime, das crianças humildes, sequer chegou às escolas públicas municipais do Icó.


Registre-se, que minha esposa, Aurineide Moreira, é professora concursada da Secretaria Municipal de Educação, lotada na escola de ensino Fundamental Conselheiro Araújo Lima, no São Vicente e BNH, zona urbana da cidade.


Portanto, os professores são testemunhas do descaso, da esperteza do passado, repetindo o presente.

Até a presente data, a Merenda Escolar, de péssima qualidade, só foi servida as crianças e pré-adolescentes, durante uma semana. Somente!


Data vênia, aonde foi parar a Merenda Escolar das criancinhas do Icó? Alguém comeu em seu(s)lugar?


Estaremos representando e noticiando, triste informação (com farta prova apensada), ao Ministério Público local e ao Governo Federal, para as devidas providências.

Chega de corrupção.

Deixem as crianças comerem a MERENDA ESCOLAR.


Com a palavra, os vereadores e o prefeito Marcos Nunes.









PRIMEIRA BAIXA NO GOVERNO MARCOS NUNES

O jargão político de Icó amanheceu hoje (26\03) movimentado com a notícia da demissão da Professora Ivana Carla Nicolau, da Secretaria Municipal de Educação.

Até o momento não se sabe maiores detalhes. Apenas conjecturas do que pode ter ocorrido. Pela sua discrição no trato pessoal, dificilmente saberá a verdade real. Ademais, o esposo da ex-secretária, Júnior Nicolau, permanece como Chefe de Gabinete, o que uma saída silenciosa, seria o mais politicamente correto.

De fato, é o que deve ter ocorrido.

A assunção de Ivana Nicolau, na educação, foi uma surpresa para muitos, pois, além de pessoa de refinada elegância e de caráter, tem qualificação suficiente e sem vícios na vida pública.

O comentário é geral. Varia desde a sua entrevista na rádio Brasil-FM, após audiência pública na Câmara de Vereadores de Icó, onde fez uma análise pessimista e verdadeira acerca dos índices educacionais icoense, bem como a falta de comando diante de muitos chefes que se instalaram na secretaria, impedindo sua performance.

Como os Peixotos-Nunes estão no poder há anos, inclusive, sem nunca ter mudado e melhorado o quadro da educação do Icó, estes sentiram os brios abalados pela incompetência dos números.

Ademais, a Secretaria de Educação, chefiada por esta gente não pode funcionar; passei 22 dias úteis por lá em 1998. Sai porque o meu sossego, minha paz de consciência, era mais importante. Norma Ferreira, passou alguns dias no desgoverno Cardoso Mota, na Secretaria de Educação. Organizada em sua vida pessoal e de bem consigo mesma, não quis seu nome jogado ao monturo.

O que está acontecendo já era esperado. Ninguém votou em Marcos Nunes no intuito de grande coisa, pois, todos se conhecem muito bem numa cidade pequena do interior.

Portanto, nem adianta mais reclamar.

quarta-feira, 25 de março de 2009

ESTA NOITE EU TIVE UM SONHO...

Sonhei com idosos na calçada, pois, contribuíram muito com a sociedade que queremos;

Sonhei com crianças nas escolas, estudando e aprendendo;

Sonhei com a merenda escolar de qualidade nas escolas públicas;

Sonhei com meu vizinho empregado, sustentando a si e os seus;

Sonhei com remédios gratuitos nos postos de saúde;

Sonhei com transporte escolar de qualidade e funcionando;

Sonhei com o hospital regional repleto de médicos;

Sonhei com Maria, hoje aposentada, graças a Deus;

Sonhei com a juventude, feliz e saudável;

Sonhei com os servidores públicos, recebendo seus vencimentos em dia;

Sonhei com os agricultores, plantando e colhendo os frutos da produção;

Sonhei com os comerciantes, geradores de empregos, com enormes vendas e sem inadimplência;

Sonhei com estradas carroçáveis de verdade, para escoar e desenvolver as ações dos nossos sertanejos;

Sonhei com a justiça, prendendo os verdadeiros malfeitores da nação;

Sonhei com a casa do cidadão, promovendo o social sem clientelismo;

Sonhei com a educação, onde qualifica o professor e ensina os nossos filhos;

Sonhei com a câmara de vereadores, onde existia mais transparência e menos política mesquinha;

Sonhei com o fim da corrupção em Icó, onde políticos ruins inaugurariam o novo presídio da urbe;

Sonhei com o matadouro público, onde a imundice cedeu lugar à higiene;

Sonhei com Neto Nunes fazendo algo como Deputado Estadual, depois de três anos de mandato;

Sonhei com indústrias aqui instaladas, promovendo emprego e renda;

Sonhei com o inquieto padre José Augusto, que me casou e batizou meus filhos, voltando a participar das novenas do Senhor do Bonfim;

Sonhei com o povo elegendo novos prefeitos, vereadores e deputados;

Sonhei com a cidade limpa, sem a necessidade de reclamar ao Luiz Palitó;

Sonhei com a cultura, cuidando do nosso patrimônio histórico e revivendo a Paixão de Cristo, iniciativa do Genildo Angelim;

Sonhei com o extraordinário escritor Altino Afonso, lançando sua obra dos nossos antepassados, sem mudar o rumo da história;

Sonhei com Socorro Gaitada, nossa cantora popular, que foi vereadora um dia, mas não vendeu sua alma em troco de nada;

Sonhei com o jornal Notícias do Vale, registrando cada marco dos nossos acontecimentos;

Sonhei com Rubens e a Brasil-FM, que falam tudo aquilo que muita gente tem vontade de expressar, mas calam por medo;

Sonhei com o Papagaio, lamentando ter descido na correnteza do Salgado;

Sonhei com Cardoso Mota, o melhor médico da cidade, a maior frustração política de nossa história;

Sonhei com pessoas que amam o poder, mesmo em detrimento dos seus sentimentos, lembrei-me de Quilon e Lourdes Peixoto;

Sonhei com Jaime Júnior, lembrei de esperança;

Sonhei com o esporte, lembrei de Nenê Freire, de saudosa memória;

Sonhei com Bebel, eterno sonhador;

Sonhei com Dr. Rossini, homem puro e iluminado;

Sonhei com Chico e Niná Moreira, meus avós, com as cadeiras na calçada;

Sonhei com Mazinha, lembrei dum amor infinito;

ACORDEI, POIS NAQUELA NOITE EU TIVE UM SONHO...

CONSELHO TUTELAR DO ICÓ

Tenho lido muito nos últimos dias. Sobre vários temas. Aliás, há poucos dias fui aconselhado a escrever outras temáticas, pois, segundo o missiva, amigo deste blogueiro, abusei dos artigos políticos e de ser masoquista pela reclamação constante do “Icó terra de ninguém”.

Na verdade, toda minha história se resume a esta recanto do Ceará, lugar ainda extraordinário, onde os historiadores Paulo Henrique e Afonso Altino, têm narrado(s) momentos com maestria. Aqui nasci, fui batizado, casei, educo os meus dois filhos, tenho minha profissão, amigos e familiares. Sou masoquista por amar infinitamente esta cidade e seu povo.

Aqui sou tolerado e odiado. Já me acostumei com isso. Faz parte da vida, principalmente quando se discute, quando se contesta o “rei”, se ganha malquerenças. Nem ligo mais. Repito: já me acostumei com isso.

Porém, nem tudo se encontra perdido. Ainda temos algo a comemorar.

Inicio pedindo apoio a Marcos Nunes, nosso prefeito atual, é verdade. É o prefeito do Icó, o Marcos Nunes. E, ainda temos de vice, o Charles Peixoto. É verdade, é o vice-prefeito de Icó.

Vamos nós.

Existe em nossa urbe uma instituição chamada CONSELHO TUTELAR.

O que é CONSELHO TUTELAR?

O Conselho Tutelar é o órgão responsável em fiscalizar se os direitos previstos no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Se estão sendo cumpridos. No Conselho Tutelar trabalham cinco Conselheiros (as), escolhidos pela comunidade para um mandato de 3 anos, que são os principais responsáveis para fazer valer esses direitos e dar os encaminhamentos necessários para a solução dos problemas referentes à infância e adolescência.

Podem ser encaminhados para o Conselho Tutelar casos de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão que tenham como vítimas crianças ou adolescentes.

Ao receber denúncia de que alguma criança ou adolescentes está tendo seu direto violado, o Conselho Tutelar passa a acompanhar o caso para definir a melhor forma de resolver o problema.

Por exemplo, se os pais de uma criança ou adolescente não encontram vagas para seus filhos na escola, ou ainda, se a criança ou adolescente estiver precisando de algum tratamento de saúde e não for atendido, o Conselho Tutelar pode ser procurado. Nesses casos, o Conselho tem o poder de requisitar que os serviços públicos atendam a essas necessidades. Requisitar, aqui, não é mera solicitação, mas é a determinação para que o serviço público execute o atendimento.

Casos os pleitos não sejam cumpridas, o Conselho Tutelar encaminhará o caso ao Ministério Público (e juízes) para que sejam tomadas as providências jurídicas.

O Conselho Tutelar do Icó é extraordinário. Mesmo sem apoio algum dos mandatários, eleitos pelo povo, nem no presente nem no passado. Não tem automóvel, motorista, incentivo algum para o desenvolvimento de suas ações em favor do povo, das famílias, das crianças.

O conselho icoense, é formado por cinco cidadãs que temos o dever cívico de aplaudir de pé, por tudo de bom, pelo amor, responsabilidade e, dignidade, a serviço da coletividade.

Tereza Cristina, Josefa Marinalda (Branca), Maria de Lourdes, Maria Ricarte (Doninha) e Francilene (Helena), merecem a acolhida unânime do povo icoense.

Como operador do direito, sou testemunha viva da qualidade destas cidadãs, da atitude do Conselho Tutelar em defesa da vida, da paz e do amor.

Vamos resguardar, com todas as nossas forças, o que há ainda de bom em Icó.





PRAÇA NO LARGO DO THEBERGE - CENTRO HISTÓRICO DE ICÓ.


segunda-feira, 23 de março de 2009

VOTO SEGURO

Diz o ditado popular que seguro morreu de velho e desconfiado ainda vive. Tomando como base essa expressão da cultura de nosso povo, defendo modificação no documento de identificação eleitoral - o título eleitoral.

Essa mudança estabeleceria que a “foto do cidadão” fosse posta no título de eleitor. Isso porque o processo eleitoral brasileiro é repleto de exemplos de fraudes e crimes contra o sagrado direito à escolha direta de nossos representantes no mundo da democracia representativa.

A vontade das urnas foi muitas vezes conspurcada por ações nefastas que violaram e enodoaram a história das eleições em nosso País. Após a reeleição de Fernando Henrique, em discurso feito na Tribuna do Senado da República, o ex-presidente José Sarney, num rompante inédito, colocou em xeque a lisura daquela eleição presidencial.

Sarney, inclusive, suscitou observadores da ONU pra acompanhar de perto o processo eleitoral brasileiro. Recentemente, um enviado da mesma ONU ao Brasil falou da possibilidade de fraude eleitoral com as chamadas urnas eletrônicas. Anteriormente, o ex-governador Leonel Brizola já havia chamado a atenção para essa mesma possibilidade. Para o velho caudilho, “a urna eletrônica é um instrumento moderno para se fraudar o voto”.

Portanto, motivos não faltam para que defendamos medidas capazes de tornar o “voto ato seguro de cidadania expresso civicamente no dia da eleição”. Um título com foto facilitaria a identificação do votante, agilizaria o trabalho de mesários e assistentes eleitorais e resultaria em mais uma alternativa para que a fraude não fosse perpetrada pelos inimigos da vontade popular.

Eles são muitos. Espertos estão sempre à espreita esperando o melhor momento para macular a grande essência da democracia que é extrair das urnas os nossos governantes e legisladores.

PONTE PIQUET CARNEIRO - ENTRADA DE ICÓ


Enfim, a reforma do matadouro.

O matadouro público de Icó, responsável pelo abate de carnes para o consumo dos icoenses, mais parecido com uma pocilga de última categoria, após representação com pedido de providências deste blogueiro, junto ao órgão do Ministério Público local, enfim, encontra-se passando por reformas.

O promotor de Justiça, Dr. Nelson Cerqueira, com assento na Vara Única da Comarca de Icó, oficiou o Município, por seu prefeito, para as devidas providências, tendo por resposta o início das obras de recuperação e remodelo do local, bem com estabelecendo um prazo de 60 (sessenta) dias, para sua conclusão e adequação do requestado.

Como era (e continua sendo) uma discussão de adultos, que envolvia principalmente a saúde pública, a atitude de cada um é sinal de cidadania e nos transmite profundo conteúdo de esperança.

Resta-nos a certeza de que a crítica construtiva deve ser acolhida em todos os seus termos, sem definição de cores partidárias, pois, o Icó como marca de nossas vidas, é bem maior do que qualquer divergência ideológica dos que militam na vida pública neste recanto do Vale do Salgado.

Finalmente, com a conclusão da reforma, postaremos as fotos do “antes e do depois”.

ENTREVISTA COM JAIME JÚNIOR (PSDC)

Sexta-feira vindoura este blog estará postando a primeira entrevista política do ano.

O ex-prefeito de Icó, Jaime Júnior (PSDC), terá a oportunidade de responder a perguntas, fazer análises dos fatos atuais e quais suas pretensões para o futuro.

Quem serão os Deputados Estadual e Federal apoiado por Jaime Júnior e seus amigos?

Quem será o governador?

O que ele espera da administração Marcos Nunes?

O que está fazendo atualmente?

Quais suas pretensões futuras?

Enfim, a entrevista promete clarear os planos políticos partidários daqueles que hoje fazem oposição ao atual governo municipal.

Jaime Júnior prometeu ao blogueiro Fabrício Moreira, “que nenhuma pergunta ficará sem resposta”.

Quem desejar enviar perguntas, a título de sugestão para o bate-papo, mande-as para o e-mail: fabriciomoreiraadv@hotmail.com

domingo, 22 de março de 2009

FRASE DO DIA

"Um homem não está acabado quando ele é derrotado, mas quando desiste".


(Richard Nixon)

Contaminação do açude Lima Campos é preocupação em matéria do Jornal O Povo

A situação crítica dos mananciais cearenses é uma preocupação constante da população, que utiliza a água principalmente para o consumo próprio. A presença de resíduos de fábricas e esgotos irregulares, irrigação e pecuária, junto com o desmatamento da área ao redor, estão prejudicando os açudes cearenses.

Essa realidade do Estado se vê no açude Lima Campos, que abastece a cidade de Icó, e que foi mencionada em matéria do Jornal O Povo, no caderno Ciência e Saúde. O texto enfoca o resultado do recente monitoramento da qualidade da água nas bacias hidrográficas cearenses, o que revelou o alto índice de entrofização dos mananciais.


ENTROFIZAÇÃO - A entrofização é um fenômeno causado pelo excesso de nutrientes na água, que leva a proliferação excessiva de algas. O excesso delas, ao entrarem em decomposição, levam ao aumento do número de microorganismos e à consequente deterioração da qualidade d'água.


AÇUDE LIMA CAMPOS - O "exemplo" icoense foi citado. No Ceará, a contaminação de açudes por agrotóxico ainda não preocupa tanto quanto o caso da entrofização. Mas o açude Lima Campos é o exemplo de manancial contaminado por pesticidas. As plantações de arroz na vazante utilizam agrotóxicos que se acumulam na água.


O mau uso de produtos químicos, locais inapropriados para guardar as embalagens e o abandono dessas embalagens são alguns exemplos que contribuem para que se contamine cada vez mais a água que serve de abastecimento ao Icó. Isso serve de alerta aos governos Estadual, Municipal e Federal.


Olhem essa situação!


(fonte: site Icó é Notícia).

sábado, 21 de março de 2009

SÃO JOSÉ

O povo icoense é eminentemente religioso. Tem muita fé. Além de diversas igrejas, espalhadas na sede da urbe, as nossas vilas, sítios e lugarejos, têm seu santo preferido para suas orações, onde as mulheres cantam e os homens tiram o chapéu em respeito ao puro e o iluminado.

Neste dia 22 de março de 2009, o Distrito-Sede do Cruzeirinho, tradicionalmente, realiza suas festividades religiosas em louvou a São José. Missa, às 9:00h, seguida de leilão beneficente e, o encontro dos “filhos do lugar”, que residem distantes, em busca de emprego e renda para ajudar a si e os seus, se avistam e se convergem com a alegria do bom sertanejo.

Em nosso torrão, São José além de santo, registra a data de sua comemoração e festejo, 19 de março, como anúncio de possível bom inverno.

Parabéns ao estimado povo do Cruzeirinho.

(NOTA: tendo em vista o dia 19 de março, ter recaído numa quinta-feira, as festividades em louvor ao Santo, no Cruzeirinho, foram transferidas para o dia 22\03).





quinta-feira, 19 de março de 2009

FRASE DA SEMANA

"Aonde o conhecimento chega até a conversa de bar torna-se diferente".

(Paulo Petrola \ex-reitor da UECE).

PALÁCIO DA ALFORRIA REINAUGURADO

Um dos prédios que mais retrata a bela história de Icó e seus conjuntos de obras arquitetônicas, o Palácio da Alforria, onde pode ter nascido o comendador e governador Nogueira Acioly, foi reinaugurado nesta terça-feira (17).

A reforma foi concluída pelo prefeito Marcos Nunes (PMDB), que teve que pedir a autorização do Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) para fazer este trabalho. O prédio fica localizado na Avenida Ilídio Sampaio, ou Rua Grande, como é conhecida historicamente.

O prefeito de Icó atendeu ao pedido do Iphan para que não houvesse mudança na estrutura do prédio tombado e fez a solenidade de reinauguração, através de um telão que mostrou o prédio antes e depois da reforma.

Também foi exposto o Palácio da Alforria dividido através das secretarias. O destaque da reforma, que foi noticiado pelo site Miséria, através do radialista Richard Lopes, foi o gabinete "moderno" do vice-prefeito, Charles Peixoto.

Além disso, houve a instalação de uma central de ar condicionado. A solenidade de entrega do prédio foi acompanhada do pronunciamento de Marcos Nunes, que disse que esta reinauguração da prefeitura seria a pedra fundamental da sua gestão, no qual é de por em prática obras que a sociedade espera.

Ele afirmou quais seriam as suas próximas ações, que seriam voltadas para a construção de um estádio de futebol, além de um campo de aviação para atrair investimentos e sinais luminosos em pontos críticos, como a geração de empregos.
(FONTE: SITE ICÓ É NOTÍCIA).
___________________________________________________________________
COMENTÁRIO PESSOAL DO BLOGUEIRO:
Durante toda semana ouvi vários comentários a respeito das obras, limpeza, pintura, etc e, finalmente, da reinauguração do Palácio da Alforria, um dos marcos históricos de Icó, que congrega há anos a sede da Prefeitura Municipal.

As obras iniciaram nos últimos meses do desgoverno Cardoso Mota, o mais desastroso da história recente do Icó e, por derradeiro, concluídas por Marcos Nunes, atual prefeito.

As críticas são relacionadas, na sua maioria, pelos luxuosos bancos, poltronas, utensílios, decorações, que foram, agora, postos no palácio. Tudo de bom gosto.

Na verdade, em que pese ninguém do povo, bem como os vereadores icoenses, ficar (em) sabendo quanto(s) foram gastos na sua construção, pois, iniciaram e terminaram os trabalhos sem qualquer placa de transparência, o velho Palácio da Alforria, que um dia foi residência do ditador Nogueira Acioly, era uma verdadeira pocilga. Um nojo.

Sempre defendi a preservação e restauração do Patrimônio Histórico; leia-se Sobrados, Igrejas e Casarões.

A sede da prefeitura de Icó, necessitava, sem dúvidas, desta limpeza geral. Aliás, não só pinturas, quadros, poltronas, mas uma mudança generalizada, principalmente de seus ocupantes, tão antigos e ultrapassados de idéias e costumes.

Finalmente, reformas são sempre bem vindas.

Como Icó é uma história que se renova por nossas mãos, embora às vezes com pouco acréscimo relevante, a reinauguração deixou seu registro.

Explico!

No passado distante, o Teatro da Ribeira dos Icós, um dos mais antigos do Brasil, teve marcada a sua inauguração. O historiador Gustavo Barroso, descreve, que agendada à hora para o importante evento, ninguém compareceu, pois, a elite icoense ficou observando das frestas de suas residências, quem chegaria primeiro e quais suas vestimentas. Detalhe: O Teatro passou várias décadas para sua verdadeira inauguração e funcionamento pleno.

Dia 17 de março de 2009, data da reinauguração do Palácio da Alforria (Prefeitura Municipal de Icó), foi uma festa. Repita-se: uma grande festa. Muita bebida alcoólica, comidas, música, um primor.

Lamentavelmente, neste aspecto histórico, houve inversão da lenda, hoje realidade, tendo em vista que a elite compareceu. O povo sequer foi convidado.

Dizem que foi lindo. Dr. Quilon, Charles Peixoto, Lourdes Peixoto, todos irmanados, abraçados, com Oriel Nunes, Neto Nunes e Marcos Nunes.

Diante deste cenário, resta-nos a afirmativa de que poder e dinheiro, amor e ódio, sempre caminham na mesma calçada.

Parabéns ao novo Palácio da Alforria.



JAIME JÚNIOR EM ICÓ

Chegou na última quinta-feira (19\03) ao Icó o ex-prefeito Jaime Júnior.

Jaime Júnior foi prefeito de nossa urbe por nove meses, onde na oportunidade, mostrou-se bastante qualificado como gestor público, principalmente no tocante as obrigações institucionais.

Durante o curto período a frente da municipalidade, inovou o comportamento da política da cidade, onde em nenhum momento fez de qualquer conveniência, balcão de negócios de seus sentimentos.

Por nove meses consecutivos, mensalmente, prestava contas na Rádio Brasil-FM, de todos os recursos que adentravam os cofres públicos, inclusive onde foram aplicados. Um marco em nossa história recente. Nunca ouvimos Jaime Júnior dizer que não faria uma ação governamental, "porque estava arrumando a casa". Com competência e aptidão para o mandato de prefeito, jogou a sujeira fora no primeiro dia.

Os corruptos não tiveram vez. Foram desaguar em rios de águas turvas.

Pagou em dia servidores, credores, fez funcionar, sem escândalos, toda a máquina administrativa. Cuidou das crianças, quando entregou fardamento escolar gratuito e merenda diária nas escolas, etc. Deu uma enorme contribuição para mudar os costumes perversos da velha politicagem, da corrupção quase sumária em Icó.

Finalmente, após o embate eleitoral, onde teve o apoio somente do povo, numa luta desigual, obteve 48% dos votos válidos, como candidato a prefeito. Praticamente a metade do povo livre do Icó disse sim ao seu nome contra os verdadeiros traíras.

Saiu vitorioso. Mesmo sem vencer as eleições, pois, permanece de consciência limpa.

A história vai julgá-lo em breve. O tempo é o SENHOR DE TODAS AS RAZÕES.

Hoje, encontra-se trabalhando em Fortaleza, para sustentar a si e os seus, tendo em vista não ser político profissional. Precisa trabalhar e dá seguimento ao cotidiano dos sóis do Brasil.

Trabalha na semana. Final-de-semana estuda o Icó.

A convite de milhares irá passar uns dias por aqui na terrinha. Um cafezinho ali. Um abraço apertado acolá. Uma cervejinha gelada para rememorar os dias pretéritos.

Com paciência e equilíbrio, Jaime Júnior chegará em breve trazendo o progresso. O povo e este humilde escriba estarão juntos para o Icó que sonhamos para todos, de igual maneira, com paz e amor.

Domingo, estaremos no Cruzeirinho. Festividade de São José.

Afinal, Deus é 10, Deus é tudo.

Não perdemos a fé...nunca.

Seja bem vindo PREFEITO JAIME JÚNIOR

(VOLTAREI AO ASSUNTO).

quarta-feira, 18 de março de 2009

VISTA DO ICÓ


O TEATRO DA RIBEIRA DOS ICÓS

O Teatro da Ribeira dos Icós, órgão da Prefeitura Municipal de Icó, é o mais antigo teatro do Ceará. Inaugurado em 1860 e remanescente da fase áurea da cidade econômica baseada na criação do gado, no cultivo das vazantes do rio Salgado e no comércio, durante o final do século XVIII até meados do século XIX, o prédio foi tombado em 1983 pelo Estado como patrimônio histórico e artístico.

O amplo espaço diante e ao lado do qual está implantado o teatro forma um conjunto arquitetônico composto pela antiga Casa da Câmara e Cadeia, o Sobrado do Barão do Crato e a Igreja do Bonfim. A praça situada defronte a essas edificações ficou conhecida como o Largo do Théberge (atual Praça Sete de Setembro), em alusão ao médico francês Pedro Théberge (1811/1864), idealizador do teatro e um dos nossos mais importantes historiadores, autor do livro Esboço Histórico Sobre a Província do Ceará, publicado em 1869 por iniciativa de seu filho, Henrique Théberge, e reeditado em 1973, pela Imprensa Oficial.

Gustavo Barroso, em À Margem da História do Ceará, lembra a rivalidade entre as cidades de Icó e Aracati e cita o anedotário, criado pelos aracatienses, segundo o qual a centenária casa de espetáculos de Icó não teria sido inaugurada solenemente por completa ausência de convidados. O historiador reproduz a versão de que a inauguração oficial não ocorreu porque nenhum representante da elite da cidade quis correr o risco de ser o primeiro a chegar, receoso de que essa pontualidade pudesse ser interpretada como típica de um exibicionismo provinciano. Conforme citação de Gustavo Barroso, as famílias icoenses vestiram suas melhores roupas e permaneceram em alerta em suas casas, mandando escravos espionar o teatro, com ordem de retornarem informados sobre a aparição dos primeiros convidados. Nessa espera, a noite teria passado e a festa inaugural não teria acontecido.

O fato é que, além dessas referências maledicentes sobre a pretensa solenidade de abertura do Teatro de Icó, as escassas informações referentes à história do teatro em livros ou mesmo no Guia dos Bens Tomados pelo Estado do Ceará, não fornecem dados esclarecedores quanto à verdade dos fatos ocorridos naquela noite, em 1860. Somente nos anos trinta, já no século XX, a historiografia do velho teatro ganha contornos mais precisos, quando, então, tem-se notícia de seu precário estado de conservação e de seu posterior processo de recuperação e reforma, empreendimento da gestão do prefeito José Pereira Curado, sob a coordenação do mestre de obras José Pereira Simão. A 17 de abril de 1935, o jornal O Povo noticia que, com recursos municipais e verbas provenientes de festivais artísticos, a Prefeitura inicia os reparos. A construção do piso de cimento em placa de duas cores, a reconstrução das alas esquerda e direita em alvenaria e os retoques na fachada principal são algumas das melhorias apontadas. Inativo em 1934, o teatro é reaberto em maio de 1935, recuperado e parcialmente reformado.

Após 1950, houve um período em que o prédio serviu de forma adaptada a exibições de filmes e na década seguinte, no foyer funcionou uma emissora de rádio. Nos anos setenta, o teto da platéia chegou a ruir e novamente o prédio sofreu interdição.

Em 1978, Francisco Augusto Veloso, chefe da Divisão do Patrimônio Histórico e Artístico da Secretaria de Cultura do Estado propôs à Secretaria de Planejamento da Presidência da República um projeto de recuperação do Teatro, assinado pelos arquitetos Domingos Cruz Linheiro e Vera Mamede Accioly.

Com recursos do Programa de Cidades Históricas da Fundação Pró-Memória, o Governo Virgílio Távora em convênio com a Prefeitura de Icó, na gestão de Quilon Peixoto Farias, inicia em 1979 as obras de restauração e em outubro de 1980 o teatro é mais uma vez reaberto como espaço cênico.
Da programação de reabertura, que se estendeu por todos os fins-de-semana de novembro, participam a Academia Hugo Bianchi, a Comédia Cearense e os grupos Independente de Teatro Amador, Pesquisa e Vanguarda.

O Teatro da Ribeira dos Icós necessita agora de outras intervenções no sentido de revitalizá-lo, com equipamentos e programa de animação que justifiquem a representatividade sociocultural de sua preservação ao longo de mais de quase duzentos anos de existência e resistência.

terça-feira, 17 de março de 2009

ICÓ: A CIDADE DAS LENDAS

"No século XIX, o Barão do Crato (Bernardo Duarte Brandão) era um dos homens mais poderosos de Icó. Dizem que ele era muito orgulhoso, não gostava de se misturar com a população. Por isso, teria mandado construir um túnel de seu casarão até o teatro municipal (construído em 1860). Assim, poderia assistir aos espetáculos sem ter que passar pelas pessoas".
A lenda, contada pelo historiador Afonso Medeiros, é apenas uma entre centenas de histórias conhecidas pela população de Icó, no Centro-Sul do Estado. Os moradores mais antigos garantem que, na igreja do Senhor do Bonfim - uma das oito igrejas de Icó - existe uma baleia adormecida no altar-mor da capela.
Se a imagem do Senhor do Bonfim for retirada, começará a jorrar água do altar e toda Icó será inundada. "É o que dizem. Eu é que não tenho coragem de retirá-lo (o santo) de lá", diverte-se o aposentado Francisco Teotônio dos Santos, 71.
O Teatro Municipal Ribeira dos Icós rendeu uma das histórias mais curiosas do município. Construído em 1860, o teatro só foi ser inaugurado oficialmente em uma solenidade realizada no dia 11 de janeiro de 2006. "No dia da inauguração, em 1860, nenhum dos senhores queria ser o primeiro a chegar ao teatro. Eles mandavam seus escravos verem se já havia chegado alguém. E, nesse vai-e-vem todo, a noite terminou e o teatro não foi inaugurado. Mas isso é lenda (risos)", diz o historiador Afonso Medeiros. "Quem inventou essa história foi o pessoal de Aracati, já que havia uma rixa entre as duas cidades", completa.
A fama de "cidade das lendas" virou até livro no município. "Icó: Suas Histórias, Nossas Lembranças", de autoria do escritor e agrônomo Chiquinho Peixoto, 63, reúne quase duas centenas de "causos" sobre Icó e seus moradores. "Os personagens são gente simples do povo que, com suas peculiares formas de comportamento, associam o respeitoso ao irreverente, o sério ao jocoso, a ingenuidade à esperteza e até o trágico ao cômico", afirma o autor do livro.
Notas sobre Icó - O cearense Antônio Pinto Nogueira Accioly, um dos mais influentes políticos do início do século XX, é um dos filhos ilustres de Icó. A casa onde ele nasceu, no centro da cidade, está sendo restaurada e funcionará como sede da Prefeitura. O escritor e político Heráclito Graça, que ocupou a cadeira 30 da Academia Brasileira de Letras (ABL), também nasceu no município. - O distrito de Lima Campos, localizado a 10 quilômetros da sede do município, é famoso pelas peixadas servidas aos visitantes. Os restaurantes, todos caseiros, estão localizados às margens do açude de Lima Campos e servem tilápias, tucunarés, traíras, entre outros tipos de peixes.
No pólo gastronômico, o cliente tem a opção de escolher o prato com peixes fritos, assados ou cozidos. - O município de Icó é famoso também pela grande quantidade de igrejas espalhadas pela cidade. São quatro no total, todas tombadas pelo Iphan. Uma delas, a Nossa Senhora do Rosário, foi construída pelos escravos em 1828. Por isso, ficou conhecida como a Igreja dos Escravos, pois era a única da cidade que eles eram autorizados a frequentar. Ao todo, Icó tem 13 construções tombadas. - A festa do Senhor do Bonfim, realizada sempre no dia 1º de janeiro, é considerada a terceira maior festa religiosa do estado do Ceará. Segundo a Secretaria da Cultura do Município, os festejos reuniram cerca de 100 mil pessoas em 2009. "São 15 minutos de fogos espalhados pela praça toda, que tem 966 metros de comprimento", garante o historiador Afonso Medeiros.
"Seguramente, eu tenho o Ceará dentro de mim". José Wilker, ator.

Bailes no teatro.


Na falta de um clube social onde pudesse realizar festas dançantes, a sociedade icoense programava e fazia seus bailes no salão do prédio do Teatro Municipal Ribeira dos Icós, contruído em 1860. Essas festam ocorriam sempre no final das festividades religiosas. O salão era decorado com bandeirolas coloridas, laços e fitas de papel crepom e palmas de coqueiro contornando as portas e as varandas. O local foi palco de muitas serenatas apaixonadas e chorosas bebedeiras.

O milagre de José Pluma.


Das muitas histórias contadas por moradores de Icó aos visitantes, consta que, na época da Confederação do Equador, houve um grupo na cidade que se rebelou e não quis apoiar nenhum dos lados. O governo provisório do Icó, então, condenou cinco pessoas à morte. Um desses era José Pluma, conhecido na cidade como "Pau Brasil". No dia do fuzilamento ele se revoltou e teve que ser amarrado a uma cadeira. Na hora dos tiros, contam que ele teria dito: "valeu-me nosso senhor do Bonfim".

Na primeira sessão de dez tiros, nenhum acertou o alvo. Os atiradores ficavam a menos de cinco metros do paredão de fuzilamento, no pátio da Casa de Câmara e Cadeia do município. Houve nova sessão de tiros e nenhum acertou. Na terceira, todavia, apenas um dos disparos raspou-lhe o braço. A população, temendo contrariar o santo, ficou eufórica e exigiu a libertação do condenado, tendo sido atendida. Ele foi levado, então, para a igreja do Senhor do Bonfim. Sobre o paradeiro de José Pluma, dizem que acabou a vida como promotor em Baturité.

Patrimônio histórico.


A maioria das lendas de Icó estão relacionadas ao patrimônio histórico do município. O Centro da cidade, inclusive, é o primeiro sítio tombado no Ceará pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Motivo de orgulhos entre os moradores. "É bom ver que Icó preserva a sua memória, o que muitos municípios não fazem", diz a dona de casa Socorro Colares, 71, moradora de Icó há 40 anos.

A casa de dona Socorro é um dos patrimônios tombados do município. Ela faz questão de não mexer na arquitetura original do imóvel, que tem 12 quartos, 42 portas, sete janelas e dois portões. Ela diz ter orgulho de procurar peças antigas e até propõe trocar por objetos novos. "Sou fã do Icó", afirma dona Socorro, com satisfação. Ela recolhe todo material de reportagens que falam sobre a cidade. Entre as peças raras, está um exemplar original da edição do dia 6 de março de 1883 do jornal O Libertador, que registra a libertação dos escravos em Icó.

Em 2006, Icó foi escolhida como "A Capital Cultural do Ceará" pelo Governo do Estado por preservar a memória da cidade. "A história e a arquitetura de Icó são patrimônios que temos orgulho de preservar junto com o povo icoense", diz a secretária da Cultura do município, Jequélia Maria Alcântara.

Há quatro anos, Icó tornou obrigatória a disciplina sobre a história do município para todos os alunos do ensino fundamental.

Thiago Cafardo e Luiz Henrique Campos, jornalistas, enviados a Icó pelo Jornal "O POVO".

1969 – HÁ 40 ANOS - FESTA DE RÉVEILLON NO CABANA CLUBE ACABA EM TRAGÉDIA.

Todos os anos era comemorado no Icó a tradicional festa de réveillon, que acontecia no Cabana Clube na noite do dia 1°, logo após as festividades em aclamação ao Senhor do Bonfim. Todavia, a festa do ano de 1969, marcada pelas desavenças políticas e pessoais entre a família Campos Monteiro e a família Nogueira Fernandes, terminaria de forma trágica.

A festa transcorria normalmente quando por volta de duas horas da manhã, José Walfrido Monteiro (1929 – 1983), presidente do Cabana Clube na época, procura o farmacêutico Eduardo Peixoto de Medeiros para solicitar ao ex-prefeito Dr. Newton Nogueira Fernandes (1915 – 1975) a retirada do seu irmão da festa, Marcelo Nogueira Fernandes, em virtude do mesmo não ser sócio do Cabana e a festa ser privativa a associados.

Dr. Newton responde que o seu irmão era sócio fundador do Cabana, só estava com suas mensalidades atrasadas e que Marcelo ia continuar na festa. Eduardo prevendo o que poderia acontecer, vai falar com o próprio Marcelo Fernandes e o mesmo afirma que só saia se a diretoria determinasse.

José Walfrido mandou parar a orquestra e no microfone, solicitou a retirada de Marcelo do recinto, sob alegativa de que Marcelo não era sócio e estava em débito com a instituição há 10 anos.

Citou que em 16 de dezembro de 1968 Marcelo agrediu a tiros de revólver o Sr. Francisco Rodrigues Tavares, conhecido como “Timbeira” e por não ser associado e estar sendo processado por lesões corporais ordenou que Marcelo se retirasse da festa.

No mesmo instante, que José Walfrido falava aos presentes, Aldo Marcozzi Monteiro, vereador na época, já prevendo o pior, foi à casa do delegado Paulo Maria e fez o relato do que estava acontecendo no Cabana.

Imediatamente o delegado dirigiu-se ao clube com vários soldados armados. Quando lá chegou a tragédia já tinha ocorrido. Restavam apenas mesas e cadeiras viradas, copos e garrafas quebrados, colunas e paredes marcadas por projéteis de arma de fogo, inúmeros feridos e um morto.

Na confusão morreu o agente estatístico Jairo Nogueira Fernandes (1930 – 1969), irmão de Dr.Newton, e saíram feridos Osmar Peixoto, Juarez Saraiva, Fátima Mororó, José Mauricio Maciel Olimpio, Ozanan Campos Monteiro, José Tarcísio Monteiro e José Walfrido, filhos do prefeito na época Walfrido Monteiro Sobrinho (1898 – 1987).

Na época foi aberto inquérito para apurar os fatos, mas os participantes da festa preferiram optar pela lei do silêncio e nunca se soube quem matou Jairo Nogueira Fernandes.
TEXTO DE PAULO HENRIQUE AMANCIO AMORIM - FONTE: CORREIO DO CEARÁ, 03 DE JANEIRO DE 1969.

domingo, 15 de março de 2009

O ICÓ E SUAS LENDAS...

O jornal O POVO fez uma excelente matéria, no último dia 14 de março de 2009, sobre o Icó e suas lendas. Vamos publicar depois na íntegra, a reportagem do jornal O POVO editada diretamente de nossa urbe.
A foto em referência, da sacada do Palácio da Alforria (Prefeitura de Icó), é dos dois escritores e respeitados historiadores icoense, Afonso Altino e Chiquinho Peixoto, respectivamente.

sexta-feira, 13 de março de 2009

NOGUEIRA ACIOLY

Em 1995, estávamos em plena efervescência de nosso efêmero mandato de vereador do município de Icó, aos 25 anos de idade.

Fizemos um estudo minucioso acerca dos nomes das ruas da urbe. A maioria não tinha nome algum. Outras tantas, denominações que nada tinha haver com a nossa história. Ademais, mudou pouca coisa nestes anos que se passaram; as ruas continuam sem significado algum.

Vereador, em Icó, caracterizava-se apenas por requerimentos “tolos” ou, registre-se, sugerir nomes de ruas e distribuições imbecis de “títulos de cidadania”.

O vereador Júnior Abreu (PT) e este blogueiro eram os únicos que apresentavam projetos de lei, de indicação, emenda a lei orgânica e, que muitas vezes, visitavam o TCM – Tribunal de Contas dos Municípios, no intuito de verificar o que entrava e saia dos cofres públicos do Icó e, principalmente sua aplicação.

Júnior era o doido de Zé Abreu e, eu, dispenso até os adjetivos pejorativos lançados. Fizemos a nossa parte com galhardia.

Voltando ao assunto, é verdade que apresentei alguns projetos neste sentido (títulos de cidadania), mas sempre o fiz com muita responsabilidade.

Destaco: Inspetor Barbosa, policial exemplar e extraordinário chefe de família; Raimundo Eduardo de Freitas (Dico), comerciante, vereador, ex-perfeito, sinônimo de honradez; José Abreu, prestimoso cidadão, amante da boa música e que por muito tempo prestou serviços na condição de farmaceutico prático; Dr. Francisco Rossini, advogado, um dos decanos do Ceará, não tenho dúvidas, cidadão mais querido e respeitado do Icó. Dr. Rossini é uma unanimidade. Nós, do Icó, o amamos.

Pois bem, inquieto com os nomes das ruas de Icó, resolvi mudar algumas, através de projeto de lei.

A principal Avenida do Icó, denominada de Nogueira Acioly, que congrega o coração e o seu centro comercial. Onde tudo acontece. Emprego, renda, discussão, bom-papo, lanches e cafezinhos, impostos, desenvolvimento, alegria e tristeza.

Tudo ocorre naquele espaço, quente e seco, do Icó.

Então, comecei a ler. O que posso fazer? Nogueira Acioly, nasceu em Icó, é verdade. A sua história, um verdadeiro monturo, desprezível e vergonhoso, na sua fase política e humana.

Daí apresentei projeto, sugerindo aos colegas vereadores, que doravante, a famosa Avenida Nogueira Acioly, do Icó, fosse denominada de prefeito Walfrido Monteiro.

Resultado: meu projeto foi rejeitado. O motivo: os comerciantes fizeram trabalho, para derrotá-lo, junto aos vereadores, alegando, em síntese, que iam gastar muito dinheiro com a mudança do nome, pois, todas as notas-fiscais teriam que ser confeccionadas novamente.

Coisas de um Icó pequeno em desenvolvimento e idéias, infelizmente.

Deixo, para a analise, o resumo da história do nosso conterrâneo Nogueira Acioly. Seja o juiz da reflexão.

NOGUEIRA ACIOLY.

Nogueira Acioly, filho do coronel José Pinto Nogueira, do Icó, nascido naquela vila em 11 de outubro de 1840. Desde muito cedo, mostrou habilidades para ciências jurídicas. Com 17 anos de idade, foi mandado para a escola de Direito de Recife, onde se bacharelou em 1864. Retornando ao Ceará, com facilidade ingressou no serviço público, graças ao prestígio político do pai. Assim, sucessivamente, foi promotor de justiça em Icó, Juiz de Direito em Baturité e em Fortaleza.

Casou-se com a filha do Senador Pompeu, Maria Tereza de Sousa. Logo o Dr. Acioly assumiu a gerência dos negócios do sogro, com forte influência também na política. Durante 13 anos, Acioly “cuidou” dos negócios do sogro; isto significou um estágio relativamente longo, preparando-se para exercer a liderança do grupo dos Pompeus por trinta e cinco anos.

Com a morte do sogro, Senador Pompeu, Acioly assumiu a direção do partido Liberal no Ceará.

Na República, o contragolpe de Floriano Peixoto permitiu que ele fosse eleito Governador do Ceará. Daí começou a construir sua máquina política: nomeou parentes e pessoas de sua confiança para postos estratégicos e para o legislativo; manipulou o dinheiro público. Tinha o apoio de Pinheiro Machado e do Padre Cícero. Contra as oposições, usava o testerro, provocava mortes, empastelava jornais, massacrava manifestantes. Nogueira Acioly chefiou a política no Estado do Ceará de 1878 a 1912.

Nogueira Acioly pode ser considerado praticamente o ditador do Ceará em seus trinta e quatro anos de política. O Ceará viveu uma de suas fazes mais negras.

O nepotismo, a corrupção, o desvio de verbas era uma constante em seu governo. A máquina pública foi usada quase que exclusivamente em nome dos seus interesses, deixando o estado praticamente falido.

Um dos fatos mais marcantes em sua política autoritária foi o incidente ocorrido com Antonio Rodrigues Ferreira (o Boticário Ferreira), que ao sentir a enorme dificuldade que seu povo passava e o descaso do governo para com a epidemia de varíola que havia se instalado no Ceará, resolveu, então, distribuir medicamentos gratuitos.

Ao saber do fato, Nogueira Acioly expulsou Boticário Ferreira do Liceu do Ceará, onde exercia o cargo de professor de química e divulgou para a sociedade que tais remédios eram veneno. Proibiu terminantemente o seu consumo, levando a população a uma epidemia que ocasionou a morte de milhares de pessoas por uma simples intervenção brutal e desastrosa.






quinta-feira, 12 de março de 2009

FRASE DA SEMANA

“Só temo a Deus. Tenho medo da desonra. Não da morte".

(Protógenes Queiroz - Delegado da Polícia Federal).

terça-feira, 10 de março de 2009

O ATRASO PERSISTE

Existe uma parêmia popular que sugere ser agosto o mês do desgosto. Porém, como a nossa secular Icó faz parte, também, da cidade dos contrastes, para o Tribunal de Contas dos Municípios – TCM, do Estado do Ceará, é exatamente o contrário.

Explico! O mês de agosto de 2008 foi o último registro de entrega de balancetes, prestação de contas, etc, e do SIM – Sistema de Informação Municipal, que a Prefeitura Municipal de Icó encaminhou aquele órgão fiscalizador.

O artigo 42 da Carta Estadual define que a Prefeitura (leia-se Prefeitos), envie a cada 30 (trinta) dias do mês subseqüente, ao TCM, sua prestação de contas, via sistema SIM.

Faltam os meses de setembro, outubro, novembro e dezembro de 2008. O mês de setembro de 2008, ainda de responsabilidade de Jaime Júnior, ex-prefeito, embora todo organizado, não foi entregue, porque Evandro Juvino, então presidente da Câmara de Vereadores, assumiu o mandato de prefeito por três dias e sumiu, sem prestação de contas, com cerca de r$ 1.500.000,00 (um milhão e quinhentos mil reais).

Como a prestação de contas é uma seqüência, daí a dificuldade em entregá-la, fazendo com que Jaime Júnior procure acionar o Judiciário para que Evandro Juvino diga o que fez com a dinheirama.

Cardoso Mota ainda foi pior. Pois além de prestar contas durante toda sua gestão sempre em extraordinário atraso, sumiu do Icó, máxime sem também dá qualquer satisfação aos meses em referência junto ao Tribunal.

O atual alcaide, Marcos Nunes, terá agora até o dia 16 de março para prestar contas, tendo em vista a elasticidade do prazo, pleito da APRECE – ASSOCIAÇÃO DOS PREFEITOS DO CEARÁ, para informar o que recebeu, aplicou e como gastou o dinheiro do Município de Icó.

Registre-se que o atraso de prestação de contas ou a sua falta, torna o Icó inadimplente e impedido de realizar qualquer convênio com o Governo Federal e Estadual.

Prejudicando, pois, o seu crescimento e recebimento de verbas em suas diversas pastas e secretarias.





domingo, 8 de março de 2009

MULHER!

Mulher! Todos os grandes senhores te reverenciam no dia de hoje, pois eles nasceram do teu ventre. Além de todos os poderes cósmicos, levas dentro de ti a semente sagrada que provê a vida. Tu és o mais belo pensamento de Deus.

Teu coração é manancial de sabedoria. De teu íntimo brota a força amorosa que nutre, regenera e ressuscita.Mulher! Ao olhar-te no espelho, reconhece ali a Mãe Divina! Mira-te nela! Encarna com dignidade os dons femininos de amor, fidelidade, sensibilidade, delicadeza, generosidade, doçura, abnegação, serenidade e o dom de tudo embelezar.

Mulher! Não te deixes corromper pela futilidade e mediocridade do mundo. Aumenta ainda mais tua força, apreendendo as virtudes dos homens, mas nunca os vícios. A regeneração do mundo depende de ti, pois tens o poder de moldar o caráter de um ser, desde o teu ventre e por toda a sua vida. Mulher! Rejeita qualquer pensamento ou sentimento de rivalidade, pois isto destrói a unidade das mulheres. Caminha graciosamente, olhando sempre com admiração o teu eterno companheiro, o homem.Mulher!
Neste Dia dedicado a ti, te proclamam como a Senhora da criação e da beleza, mas nós mulheres deveríamos ser lembradas, amadas, admiradas todos os dias... Para nós, Mulheres tão especiais...
Feliz Dia Internacional da Mulher!
____________
* Texto escrito por Silvina Maria Monteiro Brasil

FRASE DA SEMANA

"Não tenho medo da morte, pois, querendo ou não, um dia chegará. Sempre tive e continuo tendo muito medo da desonra. O homem público que não administra de forma correta, perde a moral e é desonesto, mesmo que esteja vivo já pode ser considerado morto. Entretanto, o homem público que age de forma correta e não tem motivos de escândalos para si, ou para os outros, mesmo que morra continuará sempre vivo”.

(José Alencar, vice-presidente do Brasil)

TURMA DO LALADO SALVA O CARNAVAL

"Ó jardineira por que estás tão triste, mas o que foi que te aconteceu. Foi a Camélia que caiu do galho, deu dois suspiros e depois morreu...”.

Estes versos iniciais de conhecida e eterna marchinha carnavalesca traduzem em boa linguagem o que aconteceu ao carnaval icoense. Teve rosa, flor, alegria, descontração, blocos, desfiles pelas ruas, bailes e todo animação que a festa momina recomenda. Mas tudo acabou, o carnaval deu dois suspiros e morreu, faz parte da extensa lista do Icó já teve.

Felizmente para a salvação da memória da cidade, há o glorioso patrimônio chamado Lalado. A turma, que tem como QG o bar da “Poica Pelada” na esquina da General Pirajibe com Regente Feijó, é composta por amantes da cidade e do patrimônio imaterial que se foi.

Músicos, desenhistas, compositores, cantores, técnicos em contabilidade, em computação gráfica, ex-jogadores de futebol, todos bairristas e patriotas do Icó. Bem organizada, a turma do Lalado tem calendário distribuído o ano inteiro.

Primeiro de janeiro: alvorada com banda de música; carnaval: desfile pelas ruas; semana santa: pau no galo; junho: São João animado e alegre; outubro: dia do município com banda de música na rua; dezembro: festejos do Sr. do Bonfim. Lalado ainda grita leilões, rememorando seu pai, Badalo, famoso gritador de Leilões, e participa de festas esportivas e de escolas públicas e privadas.

Todos levam a sério e obedecem as regras de Lalado e do maestro Xaxado, filho do glorioso e saudoso saxofonista Pedro de João Marcos. Todos são intelectuais, têm sempre uma história para contar e batizam tudo com Ypioca e preparados enraizados. Este ano, o desfile da Turma do Lalado foi pelas ruas do centro comercial.
Instrumentos de percussão, caras pintadas com talco ou goma, perucas e total descontração. Viva Lalado, viva a Turma do Lalado, viva Zé Pereira, viva o carnaval.
___________________
* Texto escrito por Getúlio Oliveira (Editor-chefe do Jornal Notícias do Vale) - edição 174