O BLOG QUE FALA SÉRIO! fabriciomoreiraadv@gmail.com .

sábado, 14 de janeiro de 2012

Promotores do Ceará alegam que o Governo do Ceará não tinha competência jurídica para anistiar de reprimendas, policiais militares


Justiça decreta fim da greve da PM e dos bombeiros no Ceará

Os Promotores de Justiça do Estado do Ceará, com assentos nas Varas da Fazenda Pública, protocolaram no último dia 11 de Janeiro, próximo passado, representação com pedido de providências, junto ao Procurador-Geral de Justiça, Ricardo Rocha, alegando em síntese, "que o Governo do Ceará não tinha competência jurídica para anistiar de reprimendas, policiais militares que participaram da greve motim que levou pânico, insegurança e prejuízos a sociedade e ao ente público."

Os promotores querem que a PGJ acione judicialmente o Governo e os Militares face a paralisação ocorrida recentemente, com reflexos e repercussão em todo o Estado.

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

DEU NO OPINION!!!

O TERMINAL RODOVIÁRIO DE ICÓ ESTÁ O “Ò”.

Muitas coisas no Icó, em seu núcleo urbano, estão muito boas. É necessário reconhecer. O nível de zelo por algumas edificações históricas, o tratamento da grande rua larga, a limpeza de consideráveis números de outras ruas, etc, etc. e mesmo a praça o onde ficava a estátua de dona Carlota Távora está muito boa, com exceção daquele passadio copacabanístico – nada a ver, totalmente desestético.


Outras porém chamam a atenção de forma gritante e logo para quem chega. Vejamos, por exemplo, o Terminal Rodoviário. Está verdadeiramento o “Ò”. (que não é o “Ò”. de Nossa Senhora do Ó). Até que os banheiros estão “limpinhnos”, mas os restaurantes... De resto tudo muito feio e sujo (não vou nem entrar em detalhes, vá lá e veja com seus próprios olhos).

Nem parece aquele terminal dos anos 80, que achávamos, nós os icoenses da época, estar numa espécie de Nova York do sertão, de tão limpa e organizada que era.

Disseram-me que há um certo projeto que foi embargado pelo Ipham (será?), porém isso não justifica o descaso do poder público com aquele prédio, que é de um bonito projeto arquitetônico, mas não é tão grandioso. Bastava uma tintinha, umas plantinhas, umas luzinhas e alguns painéis dos logradouros históricos e a coisa se levantava mais ou menos, dava para passar.

Não eram necessárias obras magníficas, pisos de granito. Somente limpeza e um pouco de bom gosto.









quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

TV Diário destaca arquitetura histórica de Icó.


Posted by Yuri Guedes on 08:47 in  | 0 comentários

Passear pela História de Icó através de sua arquitetura. Este foi o desafio apresentado em matéria do programa "Diário Regional", da TV Diário, do dia 2 de janeiro de 2012. A matéria abordava sobre os destinos de quem está de férias no Ceará.

Apesar do curto tempo [2 minutos], as imagens de Icó apresentadas aos telespectadores enchem os olhos e apontam para um potencial a ser explorado, o turismo cultural e histórico.

Tags: .
(DO ICÓ É NOTÍCIA).

TATUAGEM!!!


Ainda de férias por Fortaleza, capital de todos nós cearenses (e amada por todo o Brasil), tive a oportunidade com meus rebentos, durante esse período, de curtir as nossas praias ensolaradas.

Uma maravilha. Gente do mundo inteiro demonstrando satisfação, elogiando nossa culinária, o calor humano de nossa gente, o humor espontâneo do Ceará, tornando-se da passagem efêmera por nossa terra, momentos inesquecíveis.

Morenas e loiras lindas de viver, jovens idem (segundo minha cunhada), etc e tal.

Mas, uma coisa chamou-me atenção: “a tatuagem, em demasia, desenhada em todas as partes do corpo, em muitos já não era exceção, como outrora”. 

Não tenho nada contra, embora jamais teria coragem de sujar meu corpo com tal “enfeite”, porém, o exagero é fato e bastante notado por quem visita as praias, os shopping(s), os calçadões da beira-mar.

Nesse sentido, tive a oportunidade de aprofundar um pouco a leitura e encontrei, em resumo, esse texto que segue:

‘As tatuagens foram feitas no Egito entre 4000 e 2000 a.C. e também por nativos da Polinésia, Filipinas, Indonésia e Nova Zelândia (maori), tatuavam-se em rituais ligados a religião’. 

‘A Igreja Católica, na Idade Média, baniu a tatuagem da Europa (Em 787, ela foi proibida pelo Papa), sendo considerada como uma pratica demoníaca, comumente caracterizando-a como prática de vandalismo no próprio corpo, afirmando em sua doutrina como maneira de vilipendiar o templo do Espírito Santo, o corpo, levando seus fiéis a uma forma verdadeiramente reta de louvor a Deus’.

‘O termo tatuagem, pelo francês tatouage e, por sua vez, do inglês tattoo, tem sua origem em línguas polinésias (taitiano) na palavra tatau e supõe-se que todos os povos circunvizinhos ao Oceano Pacífico possuíam a tradição da tatuagem além das dos Mares do Sul’.

E você, caro ledor, qual motivação lhe fez plantar uma tatuagem, para sempre, no seu corpo? 

Aliás, várias ?

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

CAUSOS DO ICÓ!


A volta por cima

Manoel Saturnino Bezerra foi, durante muito tempo, o líder político no Icó pela UDN – União Democrática Nacional (partido político de orientação conservadora fundado em 1945 e extinto em 1.964 pelo governo militar). 

Candidatou-se por cinco vezes a prefeito e, embora nunca tenha sido eleito, nunca perdeu o prestígio e o reconhecimento da família Távora, que, de Juarez a Virgílio Távora , sempre se hospedou em sua residência.

O PSD ganhava todas as eleições e dizem que até à custa de “mapismo”. O Padre Antônio Vieira, que depois seria Deputado Federal e, nessa condição, cassado pela revolução, foi um de seus adversários.

Entre os dois, entretanto, sempre houve muita cordialidade.

Saturnino, nunca esqueceu a reprimenda que o padre (in memoria), um escritor ainda hoje famoso, um dia lhe passou, sobre uma palavra que pronunciara errado:

- Não é “tombem”, Saturnino. A palavra certa é “também”.

Virou, mexeu, o Padre foi cassado.

Um dia voltou ao Icó, encontrou-se com o velho amigo, deu-lhe um abraço e indagou:

- Como vai, Saturnino? Tudo bem?

O outro sentiu que chegara a hora de dar troco àquela reprimenda que o padre lhe passara, anos atrás. Não deixou passar a oportunidade. E falou: 

- Padre, como eu digo “tombém” eu estou bem. Se eu falasse “também”, tinha sido cassado. Como aconteceu com o senhor...

Como poeta repentista, passou a informação para os amigos:

- Não sou caça nem caçador
- Não sou tatu nem mocó

- Cassaram o Padre Vieira
- Que me caçou no Icó.

A frase que ficou:

 “Político é como abelha: a que dá menos mel é a que mais ferroa” – Padre Antonio Vieira

(Por Gilson Moreira).

DEU NO JORNAL "O POVO" (DE HOJE).

Natal em pleno janeiro?!


A avenida Beira Mar recebeu ontem à noite o desfile Natal de Luz de Iguatu, cidade do Centro Sul do Ceará. A via ficou lotada de gente, incluindo muitos turistas, para assistir ao cortejo de cerca de 480 crianças e adolescentes.


O clima natalino tomou conta da avenida Beira Mar na noite de ontem, com o desfile Natal de Luz de Iguatu. Apresentado pela primeira vez em Fortaleza, o cortejo formado por crianças e adolescentes do município situado na região Centro Sul do Ceará encheu os olhos de cearenses, turistas brasileiros e estrangeiros e sobretudo de iguatuenses que aguardaram ansiosos a passagem.

O trecho entre a avenida Barão de Studart até o Jardim Japonês, onde foi encerrado, ficou lotado de pessoas para ver as 480 crianças e adolescentes que participam da apresentação. Algumas passam sobre os carros alegóricos temáticos que trazem os símbolos natalinos. Outras desfilam no chão mostrando coreografias saudando o nascimento do menino Jesus, que vem representado em um dos carros que trazem o presépio.

As irmãs Ieda, 70, e Lêda Oliveita, 69, são de Iguatu e se encantaram com a apresentação. Para a professora Lisangela Nunes, moradora de Fortaleza, o desfile foi encantador, demonstrando a magia da noite de Jesus.

O vice-governador Domingos Filho e a secretária de Turismo de Fortaleza, Patrícia Aguiar prestigiaram a festa, assim como Sônia Muniz, viúva do maestro Eleazar de Carvalho, e o compositor Evaldo Gouveia.

ENTENDA A NOTÍCIA.

Tendo como tema “Um Natal de Emoções”, o evento é promovido anualmente em Iguatu. A apresentação em Fortaleza foi solicitada pelo prefeito de Iguatu, Agenor Neto, a prefeita Luizianne Lins, para divulgar mais a festa.


(Rosa Sá).
rosa@opovo.com.br

DEU NO DIÁRIO DO NORDESTE DE HOJE (SEGUNDA).


Iguatu exibe ´Natal de Luz´ na avenida Beira Mar em Fortaleza.

 Clique para Ampliar

A Avenida Beira-Mar recebeu, na noite de ontem, a magia e a alegria do projeto "Iguatu Natal de Luz", que encantou não só turistas como moradores e frequentadores da orla.

O projeto incluiu 400 crianças e adolescentes, além de oito carros alegóricos. A caminhada começou na Avenida Barão de Studart e se estendeu até o Jardim Japonês. Ao final do percurso, houve queima de fogos que emocionou todos que estavam presentes.

A aposentada Maria de Lourdes Coutinho, de 68 anos, trouxe os filhos e os netos para acompanhar a apresentação e não se arrependeu. "Mesmo com a demora e a multidão, valeu a pena conferir, gostei muito e espero ver novamente", afirmou.

Infraestrutura:

O projeto incluiu carros alegóricos e alas com temáticas variadas: sonho de criança, presépio vivo, símbolos natalinos, a Sagrada Família, Papai Noel, presentes, imagem da padroeira de Iguatu, Senhora Sant´Ana, anjos anunciadores do nascimento do Menino Jesus e gnomos.

O público ainda conferiu uma réplica de locomotiva, lembrando o centenário da chegada da ferrovia e do trem à cidade de Iguatu, que trouxe o progresso a partir de 1910.

(Diário do Nordeste).

domingo, 8 de janeiro de 2012

DO BLOG ICÓ CULTURAL COM ICÓ É NOTÍCIA.


O ICOZEIRO vai deixar saudade *

Banda Municipal Maestro Gonçalo Farias dos Santos.

O 1º Festival da Cultura Icoense - ICOZEIRO, aconteceu de 18 a 30 de Dezembro, sediado no Centro de Arte e Cultura Prefeito Aldo Marcozzi Monteiro (antiga Casa de Câmara e Cadeia).

O festival deu vida à antiga cadeia durante os treze dias de exposições e apresentações artísticas, e emocionou ao público local e às pessoas que visitam nossa cidade nesse período de fim de ano.

O ICOZEIRO conseguiu reunir mais de 200 artistas em aproximadamente de 60 apresentações. O público estimado foi de mais de cinco mil pessoas. Houve exposição de pinturas, esculturas e fotografias. Apresentações culturais nas áreas de dança, teatro, audiovisual, música e literatura.

A programação também contou com uma oficina, duas palestras e o 1º Fórum de Cultura de Icó, o qual iremos publicar a carta que resultou da discussão do fórum no fim desse post.

DESTAQUES DO ICOZEIRO - Muitas foram as manifestações artísticas e os artistas que passaram pelo ICOZEIRO, iremos destacar alguns, já que é impossível lembrar de todos, pois na programação prevista houve remanejamento, desistências e foram incluídas algumas performances e shows no decorrer do evento. Desde já peço desculpa se não citaei o nome de alguém ou de alguma apresentação aqui.

HOMENAGEM A ALTINO AFONSO - Na abertura do evento foi feita a entrega do Prêmio Pedro Théberge ao historiador e mestre da cultura icoense Altino Afonso. Depois de uma explanação sobre o Patrimônio Cultural de Icó, o Sr. Afonso foi agraciado de surpresa com essa comenda.

EXPOSIÇÕES - Biro Biro [foto] foi o grande destaque na exposição, foram expostos os seus painéis que fizeram parte da decoração do Forricó 2011, uma gigantesca tela que ficou ao lado do palco principal do ICOZEIRO, e pinturas e desenhos nas celas.

Ele também foi o responsável pela coordenação das exposições. Em seus trabalhos ele mostrou muita versatilidade e no último dia do evento pintou ao vivo para o público juntamente com Beethoven Cavalcante, Neide Pinto, Nailê Cidrão e José Faustino, este último fez desenhos de momentos do festival. Vários outros artistas também participaram das exposições.

TEATRO - O teatro teve uma boa participação no festival, mas devemos reconhecer que o grande momento foi na segunda apresentação, no dia 27 de Dezembro, do espetáculo "Diário de Dois Loucos", do Grupo de Teatro Arte da Ribeira. Com texto de Bené Tavares, o espetáculo encenado por Beethoven (foto) e Davina arrancou aplausos com o público de pé.

Outros espetáculos apresentados foram: "As aventuras de Cafuçu" da Cia. Cinceratos, "A grande Interrogação" do Grupo Vassouras de Teatro e "O Auto da Camisinha" do Grupo de Teatro Arte da Ribeira.

MÚSICA - A música foi a linguagem artística que mais participou do festival. Chorinho, MPB, forró, brega, música clássica, Pop rock e muitos outros estilos estiveram presentes no repertório dos músicos e cantores icoenses.

A Banda Municipal fez a abertura do evento e também apresentou algumas músicas em outro dia do evento. Destaco aqui alguns dos artistas e grupos da área da música no ICOZEIRO: Eugênio Gouveia, Antônio Hélio, Bruno Sax, Rota do Samba, Bonfim Estevão, Coral da FENABB Eutímia Maciel Moreira, José Marcos, Gilberto Brito, Socorro Gaitada, Bruno Kaoss, Pedro Alex, Pedro Lucca [foto], Jônatas Weima, entre outros.

LITERATURA - Alguns escritores icoense estiveram no ICOZEIRO, Wellington Carneiro pela primeira vez apresentou ao público suas poesias e crônicas. A leitura de sua obra no dia 28 de dezembro foi marcada pela coragem de apresentar suas produções com conteúdo homo afetivo.

Eu, Marcos Mota, fiz a leitura dramática do espetáculo teatral "O Silêncio" de Getúlio Oliveira, confesso que fiquei impressionado com a concentração do público durante os quarenta minutos da leitura.

As professoras Jorginha e Amanda fizeram uma significativa homenagem ao poeta Chico Vitor no último dia do ICOZEIRO, 30 de Dezembro. Vários poetas exibiram suas poesias na exposição das celas.

CINE DOS ICÓS - O grande momento foi a apresentação no ICOZEIRO da cineasta Ângela Jomara natural de Icó, o seu primeiro filme "REPUTAÇÃO", que foi exibido no dia 25 de Dezembro, este ano também esteve na Mostra Olhar do Ceará no Cine Ceará.

Houve também a exibição dos filmes "A Sentença do Pau-Brasil", que relata uma lenda de nossa cidade [22/12], "Um Chão de Esperança" [25/12] filme paraibano com participação do icoense Bené Tavares e "O Dilúvio do Salgado" [29/12] uma animação produzida pelos alunos de uma oficina do Cine SESI realizada em Icó no ano de 2010.

DANÇA - Infelizmente a dança teve pouca participação no ICOZEIRO, mesmo assim destacamos o bailarino Eliacildo, que fez uma apresentação solo no dia 19 de Dezembro e deu conta do recado. O Grupo Yargo Revolution, que cancelou uma de suas apresentações, na segunda foi breve e deixou um gosto de quero mais.

ORGANIZAÇÃO - A união dessas duas organizações [ACAI - Associação Cultural e Artística Icoense e AMICÓ - Associação Filhos e Amigos de Icós] não poderia ter dado mais certo. É claro que nem todos os associados aparecem para pegar no pesado, mas boa parte esteve presente e fez a diferença, fazendo o ICOZEIRO acontecer muito organizado dentro de suas limitações, já que o festival teve orçamento zero. Destacamos o trabalho de Yuri Guedes, Heitor, Ícaro, Bené Tavares, Beethoven Cavalcante, Vítor Luís e Justo e Cidinho.
O ICOZEIRO teve uma pessoa que coordenou todos os trabalhos, desde a ideia inicial do evento, sua divulgação e realização. Estou falando de Daniel Bruno [ou Bruno Kaoss, se preferir], com sua articulação entre os artistas foi ele quem fez a grande diferença no ICOZEIRO. O trabalho do Bruno inspirou a todos, que juntamente com a parceria de todos da organização, os artistas e os apoiadores fez do ICOZEIRO o maior evento de cultura já realizado em Icó.

APOIO CULTURAL:

O ICOZEIRO este ano teve alguns apoiadores:

A principal foi a Prefeitura Municipal através da Secretaria da Cultura que cedeu os espaços para realização do evento e financiou a impressão dos cartazes e folders. Como também os programas da Secretaria da Cultura: Teatro da Ribeira dos Icós, Cine dos Icós e Núcleo de Música Sobrado Canela Preta cederam seus espaços, equipamentos e funcionários para o ICOZEIRO.

A Secretaria da Educação de Icó, emprestou um som e imprimiu o banner do evento.

Brasil FM, Papagaio FM, Rádio Icó Centro, Icó FM, Site Icó é Notícias e Icó Cultural foram parceiros na Divulgação.

As Lojas Maçônicas emprestaram cadeiras juntamente com a Secretaria de Ação Social de Icó.

O Ponto de Cultura Criativa Musical realizou uma oficina de Cultura Digital.

O Festival merece maior investimento do poder público e privado, pois os artistas e organização já mostraram o seu potencial de que conseguem fazer um evento de qualidade e organizado.

Feliz 2012 para todos e vida longa ao FESTIVAL DA CULTURA ICOENSE, O ICOZEIRO. 

Carta aberta do Icozeiro

Icó-Ceará, 21 de Dezembro de 2011.

De 18 a 30 de Dezembro de 2011 na nossa cidade está sendo realizado o 1º Festival da Cultura Icoense – ICOZEIRO, sediado no Centro de Arte e Cultura Prefeito Aldo Marcozzi Monteiro [antiga cadeia], realizado pela Associação Filhos e Amigos de Icó [AMICÓ] e Associação Cultural e Artística Icoense [ACAI]. Estão acontecendo exposições de artes visuais e apresentações artísticas. Dia 19 de Dezembro, às 17h, no Teatro da Ribeira dos Icós aconteceu o I Fórum da Cultura Icoense, onde participaram representantes de várias linguagens culturais e artísticas.

Neste encontro foram abordados assuntos relacionados ao segmento cultural local, destacando a importância de se difundir a identidade cultural de nossa terra. Foram discutidos pontos sugeridos pelos próprios participantes.
Debatido inicialmente a falta de valorização dos artistas locais, sendo proposta a inclusão dos artistas icoenses de várias áreas nos eventos realizados pelo Governo Municipal, assim como o apoio dos governos (Municipal, Estadual e Federal), empresários e sociedade local nas atividades culturais realizadas pelos artistas da terra.

Para dar acesso a população aos eventos culturais, outro ponto sugerido foi a descentralização dos programas culturais para os bairros, distritos e localidades rurais. Intensificando também a programação voltada para os estudantes das escolas nas redes municipal, estadual e privada, levando os projetos para dentro dos muros da escola e também deslocar alunos e professores para participar das atividades nos equipamentos culturais da cidade [Teatro da Ribeira dos Icós, Centro de Arte e Cultura Prefeito Aldo Marcozzi Monteiro [antiga cadeia], Núcleo de Música Sobrado Canela Preta, Largo do Théberge e praças].

Foi acordado entre os presentes no fórum que os artistas participem mais dos eventos culturais, articulem-se, promovam uma união para buscar soluções, reivindiquem, criem alternativas para o setor e incentivem a produção cultural artística nos distritos e localidades rurais. Devendo também em suas produções culturais valorizar a identidade cultural icoense, nordestina e brasileira. Oferecendo também a comunidade local a oportunidade de apreciar produções culturais e artísticas de diferentes áreas, concepções e estéticas.

Todos concordam que o Fórum de Cultura de Icó deve se reunir periodicamente para continuar com as discussões acerca do setor cultural icoense.

Participantes:
Alecxandro da Silva Barbosa
Beethoven Cavalcante Germano Moreira
Bené Tavares da Silva
Carlos Alberto Torres Dias
Daniel Bruno Batista Martins
Davina Fernandes de Lima
Francídio Batista de Almeida
Francisco Germano Moreira
Francisco Wellington Carneiro de Souza
Haylon Bezerra Araújo
Heitor Amorim Muniz
Ícaro Guedes de Lavor
José Araújo Júnior
José Justo Neto Júnior
Marcos Chagas Mota
Paulo Victor Soares Pinheiro
Pedro Alex da Silva Teixeira
Yuri Guedes de Lavor

* Texto escrito por Marcos Mota no blog Icó Cultural.

NOTA: O NOSSO BLOG TAMBÉM DIVULGOU FOTOS E TODO O EVENTO EM ALUSÃO.

sábado, 7 de janeiro de 2012

BR – 116 COMEÇA A SER RECUPERADA!


A Br-116, principalmente no trecho que compreende o quilômetro do Distrito de São Vicente, no Município de Icó (Ce), até o final do desvio do açude do Castanhão (Vale do Jaguaribe), do DNOCS, foi considerada pelo próprio DNIT (órgão responsável pelas estradas federais), como uma das rodovias piores do Brasil.

Depois de muitas reclamações, ações judiciais, inclusive, investigação de desvio de dinheiro público por parte de empreiteiras, servidores públicos e agentes políticos, ela, enfim, começa a ser recuperada.

Levando-se em conta, porém, que é apenas uma “operação tapa-buraco”, pois, na verdade existe a necessidade de uma restauração total, visto que além da péssima qualidade dos serviços ali prestados, ainda registre-se que o material utilizado para os serviços, ali executado, é no mínimo discutível.

RECOMENDO O TEXTO DE WASHINGTON PEIXOTO.


FIM DE ANO NO ICÓ

Retornando do Icó após as lindas, alegres e organizadas festas de fim de ano, para minhas lides rotineiras.

Ali no meu berço de nascimento onde apenas tenho de patrimônio as amizades antigas e meus queridos familiares maternos, revi muitas pessoas queridas e, portanto muitas alegrias cheias de saudades.

Com toda certeza as festas de Reveillon foram uma das mais bonitas do Brasil, particularmente a organizada pelos moradores da Rua Grande, que estava toda iluminada com muitas fachadas belamente ornamentadas. Destaque para o Sobrado de Nilda e Dr. Luiz.

Alegria rever todos os meus irmãos, cunhadas e sobrinhos, tio e tia, primos e primas, dar um grande abraço na nossa querida Maria Borges, em bater um papo, logo de chegada com Arnóbio Almeida (filho de minha querida amiga, in memoriam, Dona Zilma) e com Afonso Altino. A gentileza de Carlos Ugulino, a inteligência de Genildo, o “Angelim do Icó”, a elegância de Socorro Monteiro, o glamour de Lourdes Maciel Peixoto, a criatividade de Maria José Monteiro, a atenção de Mateus e Tobias, a sempre casa de portas abertas de Roberto Correia Lima e todos os meus primos, enfim tantas pessoas queridas e amadas, que se fosse enumerar um a um não caberia em pequeno artigo diário-de-viagem.
De descer até o rio Salgado pelo caminho das taboqueiras - ainda seco e poluído - mas sentindo, às suas margens, o cheiro e o som dos currais, tão antigos quanto o Icó. Mas senti falta dos morcegos, que for certo foram trucidados, mas que davam ao Icó um cheiro de coisa velha. (Será que não sabemos que inúmeras espécies vegetais dependem de morcegos para polinização ou dispersão de sementes?)

Como grata surpresa o presente do livro do primo Chiquinho Peixoto, Icó, suas histórias. Nossas Lembranças, pontilhado das velhas estórias/histórias do cotidiano das pessoas do Icó.

E tanta coisa boa!

Enfim, na Procissão do Senhor do Bonfim apanhei no chão um leque de uma determinada marca industrial onde havia a “Oração do Senhor do Bonfim”, aquela em que chamo propositadamente ao nosso Santo de “Excelso Padroeiro do Icó” e o clamo a defender as terras sertanejas de todos os males. (http://iconacional.blogspot.com/2008/12/orao-ao-senhor-do-bonfim-do-ic.html) Mas que pena, embora copiada e largamente distribuída esqueceram de citar o autor da louvação-rogativa, mas não faz mal o que interessava mesmo era a mensagem.

Mas, assim mesmo. Senti-me um estranho na minha terra e tive o sabor de em vida morrer, pois deve ser assim que todos os escritores sentem-se quando vêem sua obra mudar de dono e cair no domínio público. Ou talvez ser o pequeno sino na porta da Casa de Câmara, pendurado e esquecido.

Até logo, Icó!

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

DEU NO BLOG DO ELIOMAR.


Greve na PM – Para vice-governador, acordo não foi quebra de autoridade

O vice-governador Domingos Filho avaliou o fim da greve dos policiais e bombeiros militares, durante coletiva nessa noite de quarta-feira, antes do ato de posse da nova cúpula da Procuradoria Geral de Justiça do Estado. Para ele, não houve quebra de autoridade do goernador Cid Gomes, que negociou com grevistas.

GREVE NA PM – EDITORIAL DA FOLHA DE SÃO PAULO CHAMA DE “MAU EXEMPLO” ACORDO FECHADO POR CID GOMES.


Com o título “Mau exemplo”, eis o editorial da Folha de São Paulo desta quinta-feira. Aborda o caso da greve dos policiais e bombeiros militares do Ceará.

Tem um aspecto surreal, e ilustra bem a onda de temor que tomou conta da cidade de Fortaleza nesta semana, a declaração de um inspetor de polícia de que até a delegacia “estava fechada por receio da segurança”.

Com efeito, não se podem culpar lojas, creches, escolas, postos de saúde, atrações turísticas e o Tribunal de Justiça por ter cerrado as portas na esteira da irresponsável paralisação dos policiais militares e bombeiros cearenses, que, menos mal, chegou ao fim.

É estarrecedor que a população da quinta maior cidade do país tenha sido forçada a um toque de recolher informal em plena luz do dia, aterrorizada por boatos sobre arrastões e assassinatos.

A situação em Fortaleza evidencia os graves problemas acarretados por esse tipo de paralisação, chegando a extremos em episódios como as greves de policiais militares que levaram caos e mortes a Salvador no início dos anos 2000.

Dessa vez no Ceará, a mobilização de cerca de mil militares e 200 homens da Força Nacional de Segurança não foi suficiente para transmitir sensação de segurança à capital do Estado, que só agora começa a voltar à normalidade.

Com ou sem esquemas alternativos, é inadmissível uma paralisação de PMs. Por justas que possam ser as reivindicações salariais, militares são proibidos pela Constituição, por motivos óbvios, de praticar greve. Precisam, portanto, buscar outros meios de defender seus interesses corporativos.

Some-se a isso o desrespeito à decisão da Justiça, que havia considerado a greve ilegal e determinado o retorno imediato ao trabalho.

Nesse cenário, a promessa de anistia aos envolvidos, no acordo que encerrou a greve, é um equívoco. O governo, que cedeu na elevação do piso salarial de R$ 1.606 para R$ 2.634 (mais que os atuais R$ 2.366 de São Paulo ou R$ 1.847 de Alagoas), tinha o dever de punir ao menos os líderes do movimento, para deixar claro o quão intolerável é esse tipo de conduta.

Tanto foi inoportuna a decisão que os policiais civis animaram-se a anunciar, na seqüência, uma paralisação total até que suas reivindicações sejam atendidas. A leniência do governador Cid Gomes acabou, portanto, por prolongar o clima de insubordinação.

As forças de segurança merecem salários dignos e boas condições de trabalho, mas não podem, em busca de seus direitos, transformar os cidadãos em reféns. Pela natureza essencial e particular de sua função, greves de policiais, civis ou militares, são inaceitáveis.

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Quando um pedido de “Socorro” valeu a pena. (ELIOMAR DE LIMA).


Se há uma pessoa que merece elogios ao longo do processo de negociação durante a greve dos policiais e bombeiros militares, essa é Socorro França, que está entregando, a partir das 19h30min desta quarta-feira, no Gran Marquise Hotel, o cargo de procuradora-geral de Justiça do Estado para o promotor Ricardo Machado.
Sempre com o celular ligado, sempre conversando com os líderes dos PMs grevistas e sempre tentando contornar problemas junto ao Palácio da Abolição, quase não dormiu. Mas nunca se escondeu de ninguém.
Socorro França fez a ponte entre Governo, PMs em greve e imprensa, pois repassava sem problemas todas as informações. 
Vez em quando, ficava triste com o desenrolar dos fatos, mas nunca perdeu o otimismo e a confiança de que tudo acabaria num acordo. Pesou seu lado cristão misturado com aquele seu jeito conciliador de ser.
Dessa vez, valeu a pena alguém pedir “Socorro” durante esse grave problema chamado greve na Segurança, cujas repercussões futuras só o tempo dirá.


NOTA DO BLOGUEIRO: ------------------------------------------



O CENTRO DE MEDIAÇÃO DE CONFLITOS FOI UM DOS PROJETOS VALORIZADOS POR NOSSA QUERIDA PROFESSORA, DRA. SOCORRO FRANÇA, A FRENTE DA PROCURADORIA GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO CEARÁ.


PORÉM, JUSTIÇA, AMOR E FÉ, ESTÃO IMBRICADOS NO CORAÇÃO DESSA EXTRAORDINÁRIA MULHER, CIOSA SERVIDORA PÚBLICA, MÃE E ESPOSA AMOROSA, AMIGA FRATERNA E LEAL.


ESSA FOTOGRAFIA, ESTIMADO ELIOMAR, BEM DEMONSTRA O ESTILO ANGELICAL DA DRA. SOCORRO FRANÇA, “QUE NÃO PERDE A TERNURA JAMAIS”.


COMO SEU EX-ALUNO, DA UNIVERSIDADE DE FORTALEZA, GOSTARIA DE AFIRMAR, DIANTE DAS POSTURAS ASSUMIDAS POR ELA NESSA LONGA CAMINHADA COMO PROMOTORA, DISTRIBUINDO O PÃO DA JUSTIÇA DE IGUAL MANEIRA, PRINCIPALMENTE AOS MAIS NECESSITADOS, “QUE SE MISTURAR SOCORRO FRANÇA E AS FLORES DO JARDIM”, O DIFÍCIL SERÁ, AO SEPARÁ-LAS, SABER QUEM É SOCORRO E QUEM SÃO AS FLORES. AMBAS, TÊM CHEIRO DE AMOR, DE PAZ, DE TERNURA E DE CONCILIAÇÃO. 


PARABÉNS! QUE DEUS LHE PROTEJA SEMPRE!



  

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

O ANO DE 2012 INICIA COM NOMES JÁ SENDO POSTOS À DISPUTA ELEITORAL.


Estamos iniciando o ano de 2012!

Ainda nem deu tempo sacudir a poeira do ano findo, porém, como o povo adora política partidária, mesmo o certame político oficialmente sendo oficializado apenas em junho (DO DIA 10 A 30 DE JUNHO DE 2012), quando das convenções municipais, já tem gente com bloco na rua das cidades, com discursos na ponta da língua, e com disposição para a disputa de outubro próximo.

Em Icó, até o momento se lançam:

- Rubens Brasil;
- Jaime Júnior;
- Marcos Nunes.

Em Iguatu, até o momento se lançam:

- João Alencar;
- Aderilo Filho;
- Joab Soares;
- Mirian Sobreira.

Em Orós, até o momento se lançam:

- Dr. Eugênio;
- Oriel Nunes;
- Simão Pedro;
- Dr. Lula;
- Eliseu Filho.

Em Baixio, até o momento se lançam:

- Nilton Alencar;
- Armando Quaresma.

Em Umari, até o momento se lançam:

- Dr. João Paulo;
- Dr. Nino.


Voltaremos ao assunto, com mais detalhes, e nomes de outras cidades circunvizinhas.

  

   

Cidade limpa!


O Sec. de Obras e Infraestrutura do Município de Icó, Dácio Pinto Amancio, prometeu e cumpriu: "Icó iniciará o ano mais limpa do que antes". Realmente a limpeza pública, como diz no jargão popular, "botou foi quente". 

A cidade está limpa.

NOTÍCIA BOA PARA OS AGRICULTORES DO MUNICÍPIO DE ICÓ - CEARÁ.


Icó fica com 20% dos selos da Agricultura Familiar no Ceará.

O ano termina com boas notícias para o setor agropecuário do município de Icó, na região Centro-Sul. 


Seis empreendimentos obtiveram o selo da Agricultura 100% Familiar. No Ceará, foram entregues 30 selos. A certificação é uma iniciativa da Secretaria de Desenvolvimento Agrário em parceria com o Instituto Agropolo.

Os empreendimentos que ganharam o selo Agricultura 100% familiar foram: Associação dos Apicultores (mel em sache e pote); Colônia de Pescadores Z 27 (filé de peixe e bolinha); Associação de Produtores do Conjunto Pedrinhas (iogurte); Conjunto de Produtors do Conjunto Alfa (arroz); Associação de Produtores do Conjunto Gama (arroz e goiaba); e o produtor César Nogueira (iogurte e queijo).
 “O CVT dá orientação que resultou em melhor organização da produção, reformulação do marketing e apoio logístico ao processo de beneficiamento do mel em sache”, explicou o coordenador do CVT, João Anselmo dos Santos.

A conquista de Icó foi comemorada pelos produtores rurais e pelo secretário de Agricultura, Mailton Bezerra. “Com essa conquista, vamos ampliar as vendas governamentais para a merenda escolar, ampliando emprego e a renda no campo”, disse.
Um dos destaques foi a Associação dos Apicultores de Icó, que no ano de 2011, teve um desenvolvimento considerável. O setor é mais uma opção econômica para os agricultores e tornou-se referência na região Centro-Sul. O crescimento é resultado de parceria com a Secretaria de Agricultura do município e o Centro Vocacional Tecnológico (CVT) de Icó.
SOLENIDADE.
Durante o seminário sobre o Programa Leite Fome Zero, realizado no Centro Espiritual Uirapuru (CEU), em Fortaleza, foi lançado o Plano de Desenvolvimento Rural Sustentável e Solidário e o Selo da Agricultura 100% Familiar.
O evento foi promovido pela Secretaria de Desenvolvimento Agrário (SDA), com apoio da Ematerce, Instituto Agropolo, Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Consea), Ministério de Desenvolvimento Social (MDS) e Governo Federal.
 Na ocasião, foi entregue a trinta empreendimentos cearenses o selo da Agricultura 100% Familiar.
(POR HONÓRIO BARBOSA).

segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

REFLEXÃO!!!


Há um ano ele nos deixou e partiu ao encontro do pai celestial.

Baruch Esteves, ou simplesmente Dudu, era (é) filho dos comerciantes icoenses Baruch e Leila Alves.

Uma criança amável, evangélica, estudioso, que se preparava com todo fervor e muita fé para ser médico.

Uma fatalidade, no dia 1º de janeiro de 2011, vítima de um choque elétrico, na chácara de seus pais, ele se despedia deixando enormes lembranças e saudades, com a comunidade chocada com a notícia que percorreu toda região.

No primeiro dia deste ano (2012), os seus amigos, familiares – irmão, primos, tios e avós e seus queridos genitores, buscaram todas as forças possíveis para as homenagens devidas a Dudu.

Uma fotografia, defronte a sua residência, na Rua Des. José Bastos, centro histórico do Icó, com seu gesto angelical, pregava que a vida deve continuar: “Sei que deixei muitas saudades, mas Deus me chamou”.

Que o nosso Deus, com todo o seu amor infinito, conforte o coração de todos que tiveram o privilégio de conhecer Baruch Esteves – o Dudu.

← Postagens mais recentes Postagens mais antigas → Página inicial
Copyright © FABRÍCIO MOREIRA DA COSTA | Powered by Blogger Design by RaffaelNojosa | Blogger Template RN Solucões em designer