quinta-feira, 30 de setembro de 2021

Laís Nunes mantém diálogo aberto e permanente com lideranças sindicais e classes de servidores públicos

 


Na tarde de hoje (29) a prefeita Laís Nunes recebeu em seu gabinete o professor Anízio Melo, presidente do Sindicato dos Servidores Públicos lotados nas Secretarias de Educação e de Cultura do Estado do Ceará e nas Secretarias ou Departamentos de Educação e/ou Cultura dos Municípios do Ceará e Marcelo Silva, presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Icó, com sua equipe.


Os presidentes dos sindicatos e seus assessores apresentaram pautas de discussões e reivindicações relacionadas aos servidores públicos municipais locais.

“Estou à disposição de todas as lideranças sindicais e a classe de servidores para o diálogo aberto e permanente. Entendo as reivindicações que são justas, porém, o impacto financeiro e o índice da Lei de Responsabilidade Fiscal têm que ser levados também em consideração para que a municipalidade icoense não tenha consequências judiciais”, explicou Laís Nunes.

As lideranças sindicais parabenizaram pelo nível das discussões e abertura de debate permanente com a categoria dos servidores públicos locais.

A secretária de Educação, professora Aurineide Amaro; professora Francisca Maria, secretária-adjunta; procuradores jurídicos Fagundes Lourênço e Fabrício Moreira; chefe de Gabinete, Gracinha Ferreira; professores Alexandre Moura e Luíza Carvalho (APEOC); advogados Drs. Wasseles Vilarouca e José Inácio também pontuaram suas sugestões durante a reunião.

SEGURANÇA PÚBLICA



Segurança Pública sempre foi um tema complexo e exige uma discussão ampla, cautelosa, por ser também muito perigosa uma análise profunda. O crime mora a sua frente, ao seu lado direito e esquerdo e, muitas vezes senta em sua mesa e no seu convívio. Com os olhos impassíveis, nós pessoas simples do povo, pouco temos a fazer. O que mais choca, dentre outros fatos, é a expulsão de famílias de seus sagrados lares em bairros e comunidades, por exigência do tráfico e facções. Urge uma providência enérgica; pra ontem!

CAMIONEIRO FAKE



Será que já está relampejando em seu caminhão fake? Ao embalo da canção de Roberto Carlos, dando três pulinhos e afirmando agora que Olavo não tem mais razão e, doravante, já se apercebeu que como diz Bastiana do Icó "tomou na sete greta?". Pi bi pi, pi bi pi...

CENÁRIO DE HORROR

Em um cenário de horror, no pomposo tapete azul do Senado da República, ontem teve espetáculo sim senhor. Desde o paletó verde e amarelo para por analogia apresentar-se como patriota de mentirinha que se derrete com as Estátuas da Liberdade em frente às lojas desse véi ridículo e inescrupuloso.

Porém, mesmo fazendo apologia às fake news, a morte e ao desprezo para com as instituições, o Brasil parou para ouvi-lo. Por conteúdo dele, logicamente que não foi, mas sobrou gargalhadas, patifarias, e outras coisas mais. Viva o Brasil de Zé Carioca, Mãe e Pai João.

terça-feira, 28 de setembro de 2021

BRUMADINHO


O veterano repórter de política, cotidiano e de mundo do jornal O Estado/CE, vestiu formalmente sua jaqueta de jornalista e foi buscar a notícia onde ela nasceu: Brumadinho, no Estado de Minas Gerais.

Outros na mesma caravana e com os mesmos objetivos - mas jovens nos caminhos entre bastidores e a prática da profissão -, com cadernetas e canetas às mãos e entusiasmados com a missão de informar, mesmo sendo um evento de pesar para todo o planeta -, fazem companhia e cumplicidade a um sobralense da cabeça branca da Praça João Pessoa e de bigode preto que o patenteou como marca pessoal.

Na pauta, uma caminhada para ouvir pessoas, depoimentos, histórias de como tudo aconteceu, como estão os que sobreviveram e o que eles esperam para o futuro.

Macário Batista ainda conseguiu sentir o orvalho das lágrimas de milhares de crianças, jovens, adultos e idosos que molharam os chãos daquele local que levou à morte centenas de pessoas.

Como bom contador de fatos reais, Macário se misturou também ao povo da região e participou de atos de solidariedade no local. Afinal, solidariedade é um belo gesto de amor.

Brumadinho foi palco de uma grande tragédia que poderia ser evitada, mas, infelizmente, o amor por ouro e prata de alguns dos nossos empresários no Brasil e no mundo, pasmem, a vida não vale mais que seus interesses econômicos e de poder.

Que o tempo seja o senhor da razão e que não deixe na impunidade malfeitores que não sentem emoção alguma por Brumadinho e para com sua gente.

Toda foto tem uma história





O jornalista Macário Batista resolveu, enfim, escrever suas crônicas dos fatos que ele vivenciou pelo Brasil e o mundo afora.

E sempre consegue contá-las com o mesmo entusiasmo de quando, há mais de cinco décadas, escreveu a sua primeira página de texto em máquina olivetti para a redação do jornal em que trabalhava.

Pois bem, aproveito a carona do título que o inspirou para lembrar de Antônio Batista Vieira, o Padre Vieira, que foi partícipe de grandes eventos que marcaram a história dessa nossa tricentenária Icó. Seja como vigário irreverente, político destemido, preparado intelectualmente e cidadão muito perspicaz.

Foi a perfeita expressão do autêntico sertanejo, nascido na Serra dos Cavalos no Município de Várzea Alegre, em 1919.

Professor, jornalista e escritor, além de religioso, lecionou latim e grego no Seminário de Crato de 1942 a 1953 e foi redator-chefe do jornal Ação, daquela cidade, de 1944 a 1953.

Vigário da paróquia de Icó de 1954 a 1962, lecionava também português e sociologia educacional neste torrão.

Trabalhou ainda como cronista do jornal O Povo de 1955 a 1965.

Em 1964, fez curso de planejamento de pesquisa social e econômica, na Universidade da Califórnia, em Los Angeles, nos Estados Unidos.

No pleito de novembro de 1966 elegeu-se Deputado Federal pelo Estado do Ceará na legenda do Movimento Democrático Brasileiro (MDB), partido de oposição ao regime militar instalado no país em abril de 1964.

Assumindo o mandato em fevereiro de 1967, foi vice-presidente da Comissão de Economia da Câmara dos Deputados.

No dia 16 de janeiro de 1969, teve seu mandato cassado e os direitos políticos suspensos por dez anos com base no Ato Institucional nº 5 (13/12/1968).

Foi ainda diretor do Ginásio Nossa Senhora da Expectação e pertenceu à Associação Cearense de Jornalistas.

DE VOLTA AO ICÓ

Em Icó, Padre Vieira lançou alguns de seus livros, em memoráveis noites nos calçadões do Teatro da Ribeira dos Icós. Estive por lá, à época, acompanhando o meu pai Aristóteles Costa e, meu tio, Reinaldo Costa.

Após a solenidade simples que reunia tão-somente os cidadãos que tiveram o privilégio de sua estada em Icó, o padre tomava algumas doses boas de uísque. Bebia muito bem, por sinal.

Anos depois, participei na condição de vice-prefeito de Icó, da solenidade na Câmara de Vereadores que lhe outorgou o título de cidadania icoense.

O padre de discurso vibrante e forte, naquela noite fez uma fala escrita aos presentes, polêmico, mas histórico do que nesta terra presenciou.

Ao final, jogou o texto escrito à plateia e as autoridades que apenas o aplaudiram.

Foi sua última vez em solo icoense!

- Faleceu em 19 de abril de 2003. Aos 83 anos.

(Uma pena que não encontrei mais a fotografia de sua presença na Câmara de Vereadores e nem o seu discurso escrito. Que guardei por anos em meu escritório. Voltarei ao assunto).

segunda-feira, 27 de setembro de 2021

MÍDIA NEFASTA?

 


A comunicação é tornar comum, compartilhar, trocar opiniões, associar, conferenciar, enfim, um diálogo permanente entre pessoas e sempre foi referência à manutenção de todas as democracias do mundo.

Em qualquer tempo que governantes autoritários, corruptos e ilegítimos se achem de alguma forma importunados, o primeiro ato sempre é o de cercear os meios de comunicação e a liberdade de expressão da coletividade.

É bem verdade que o surgimento mais amplo da comunicação, como o das mídias sociais, teve um avanço significativo e deu mais pluralidade ao debate.

Por outra banda, trouxe também graves consequências, como por exemplo, a instalação das chamadas fakes news (notícias falsas).

As fakes News são capazes, através de suas forças, em desequilibrar qualquer disputa: seja no âmbito público ou privado. Em uma eleição a qualquer cargo e esfera de poder por esse viés e suas consequências são indeléveis à sociedade.

Nesse debate, muitas vezes inconsequente, já levou pessoas à depressão; suicídio; ao fim de relações conjugais, decepções e julgamentos precipitados.

Nas últimas eleições presidenciais, essa indústria de fakes news foi tão poderosa que, associada ao anti-petismo, elegeu Jair Bolsonaro à presidência da República. Inquéritos correm os corredores da Polícia Federal e lotam as prateleiras virtuais do Poder Judiciário.

As fakes news elegeram deputados, vereadores, prefeitos e demais brasileiros por serem supostos defensores virtuais de alguma causa. Igualmente, elegeu outros tantos que não tinham causa alguma; apenas gritavam, falavam mal, agrediam, e insultavam às nossas instituições pátrias.

Discursos sem qualquer conteúdo lógico.

O Brasil sempre foi pródigo na criação de heróis, salvadores da pátria e de santos sem fé.

No Estado de São Paulo, por último, movido por esse mesmo esquema de mídias sociais surgiu o famoso “Delegado da Cunha”; um policial valente, destemido, lutador de artes marciais e honesto a toda prova, que, inclusive, criou uma página na chamada internet para publicitar os seus vídeos, suas ações e prisões corajosas de marginais.

- Era mais um fake news travestido de agente público de segurança, ao vivo diariamente, para enganar a opinião pública desavisada.

Restou descoberto, no último final de semana, que o famoso Delegado da Cunha fazia uma verdadeira encenação de suas prisões, apreensões e diligências, com o único objetivo: ser candidato para algum cargo eletivo, em São Paulo, às eleições estaduais de 2022.

Tinha até mesmo um cinegrafista profissional contratado para gravar operações e massificar o seu nome como o homem que veio para por ordem na segurança pública e conduzir o retorno da paz ao cidadão paulistano.

Era tudo mentira. 

O Delegado da Cunha pariu um Pinóquio; e nada mais que isso!

(Por Fabrício Moreira da Costa, advogado e contista).         

A vaidade é uma areia movediça?

 


Estamos nas proximidades das eleições a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Formais, de paletó e gravatas, os candidatos percorrem os municípios, escritórios associados de advogados e bancas individuais.

Na pauta, propostas para presidirem a importante instituição, uma crítica às vezes veladas e outras nem tantas aos concorrentes e, logicamente, o pedido do voto.
No meio desse furacão que é qualquer eleição seja a que for, o Conselho Nacional da OAB sem qualquer discussão, publica um Provimento que proíbe a suposta "ostentação" de seus pares nas redes sociais.

O assunto tomou conta da classe e invadiu a mídia social do Iapoque ao Chuí. Não por ser um tema importante, muito pelo contrário, mas porque virou chacota nacional. De logo, críticas, memes, montagens humorísticas generalizou-se, afora a inquietação de muitos que se sentiram castrados em seus desejos individuais.

A dúvida é que a Ordem dos Advogados, instituição que sempre primou em grande trincheira pela consolidação da nossa democracia e na defesa das instituições pátrias e da liberdade de expressão, etc, resolveu então de forma unilateral guiar o que devem postar ou não, vestir-se ou não, passear, viajar ou não, os seus quadros de advogados de forma pública a quem deseja vê-los?

A confusa redação dada ao Provimento que tem gerado todo esse desgaste gracioso, ainda sugere que a ostentação de alguns seguem à vida pessoal do advogado. Ou seja, o veto não se limita a portais e páginas solenes de advogados com os seus CNPJs.

Sabe-se que a vaidade é sempre uma areia movediça e se utilizada de forma equivocada não faz bem a quem seja, mas tão-somente ao narcisismo pessoal de alguns tolos e bobões que bafurejam charutos em beira de piscina, em pleno café da manhã, para um clique fotográfico de final de semana.

Porém, a admoestação é que advogados até poucos dias eram completamente proibidos de fazerem propagandas como todos outros profissionais e diversas profissões fazem.

Ficam impedidos de advogarem se assumirem secretarias de entes públicos ou se forem eleitos a mandatos eletivos e ou à mesa diretora dos poderes legislativos.

Agora, fora do expediente forense, os advogados também devem se esconder de holofotes, de posar com sua família e filhos ao lado de seu belo automóvel ou curtirem suas noitadas vestidos de caríssimos ternos bem cortados e arrumados.

Se o traje simples não significa a certeza que o monge é santo, por certo o advogado não pode ser tratado como capeta por conta de sua vaidade pessoal.

O que vale mesmo é a luta das ideais e a Ordem dos Advogados do Brasil não deve, jamais, esquecer disso.

(Por Fabrício Moreira da Costa, advogado e contista para o Portal OPINIÃO).

Se estiver errado me corrija




Acho que foi o Governo Cid Gomes que arrumou um bocado de campo de aviação no Ceará, transformando-os em aeroportos. Os que arrumou, botou luz, que chamam de balizamento pro pessoal pousar e decolar de noite.


Crateús, Sobral, São Benedito, Tauá, são cidades-polo, que abrigam indústrias e centralizam comércio regional, como Iguatu, há muito tempo servida pelo sistema e que teve até linha aérea.

Há outras cidades que ganharam novas pistas. Outras perderam, como Jaguaribe e Senador Pompeu, ou ainda Mombaça e Orós. A pista do Castanhão serve só a Jaguaribara e Jaguaretama, em sérias emergências.

Pois bem; eu queria mesmo era fazer uma defesa daquilo que interessa não só ao povo, às administrações públicas e ao comércio.

Defendo a ideia de que sem uma pista decente, um aeroporto decente, como o que está sendo construído em Sobral, e já o foram em Camocim e Jeriquaquara, não haverá desenvolvimento o que nos leva ao emprego, ao salário, e ao progresso.

Hoje, uma única cidade sede, ou polo, como queira, não tem um aeroporto. Tempos atrás teve um arremedo para aviões pequeninos, de época, quando o DNOCS fazia açudes para irrigação como o Perímetro Irrigado Icó-Lima Campos.

O abandono destroçou a pistinha que foi trocado por um Conjunto Habitacional nunca entregue oficialmente pelo Banco do Brasil à municipalidade. Agora, Icó clama por um aeroporto que possa chamar de aeroporto.

A meio caminho entre Fortaleza e o Cariri, a cidade tem tudo pra crescer, seja no turismo religioso e patrimonial, no emprego, na renda, na cultura rica de cidade com mais de 300 anos de histórias.

No seu entorno há pelo menos vinte municípios que seriam beneficiados com um aeródromo de nível, inclusive os vizinhos Rio Grande do Norte e a Paraíba. Gerar trabalho.

Nenhum empresário vai levar sua indústria/empresa para um lugar que não tenha um aeroporto. Isso Icó não tem.

A região precisa. Ou o Governo não sabe disso?

(Macário Batista, jornalista).

O RÁDIO


Na minha modesta opinião, o rádio é um dos mais completos movimentos ainda vivo e forte de nossa comunicação. Além do pluralismo da programação - que debate e veicula de tudo um pouco -, ele é a voz dos excluídos, e, ao mesmo tempo, inclui algumas classes como os que não sabem lê e com problemas visuais ao seu alcance.

O rádio é a notícia diária, corriqueira, vibrante, que percorre do esporte às festividades comuns e religiosas até os cataclismos da nação. Um simples alô para uma pessoa simples do povo, ou até mesmo para intelectuais que falam de história, geografia, polícia, cotidiano, política, e de mundo já os empolga.

E as missas, sejam elas para evangélicos ou católicos, o rádio está presente também. Tem mestre espírita, candomblé e orixás? Tem também. É o rádio de "Cícero do Rádio do Icó, de Manel, de Chico, Toim, e do Sarney, Tancredo, Paulo Coelho, Jorge Amado, e etc e tal".

Em 1997, com Eliseu Amâncio e Neto Nunes, fundamos à rádio Papagaio-FM em Icó. Até os dias atuais líder de audiência no Vale do Salgado e parte do Centro Sul. A Independente-FM também criamos, à época, mas essa última desceu nas águas do valente Rio Salgado às margens da Ribeira dos Icós.

Enfim, hoje é domingo, dia de ouvir o colega Iran Santos que embala em forma de amor, no rádio, as canções do rei Roberto Carlos na Papagaio-FM(97.5).

sexta-feira, 24 de setembro de 2021

As últimas notícias!



Em nosso torrão, onde "sopravam" os ventos do Aracati e do Mossoró, o calor está infernal!

A rádio Pião, localizada no Pau de Jacu e bem no centro da cidade, o seu presidente, Vicente das Lavras, informa que está trabalhando apenas nos bastidores, pois a Praça do Mercado Central passa por reformas.

Pelo Ceará e no jargão político, lê-se apenas uma movimentação de mudanças de bagagens, pois se aproxima a data das desincompatibilizações para quem deseja ser candidato em 2022.

Nos botequins, o pessoal só fala em seca e queimadas; que está liso; e que a cerveja gelada, minha preferida, está caríssima.

Na assembleia legislativa, a casa do povo, sabe-se apenas que Louro Maia será candidato à presidência da Associação Cearense de Imprensa, em breve, com apoio de Numa Boa e de outros bons escribas também!

Nos grupos de whatsapp o papo é o mesmo todo dia; Bolsonaro, Lula, comunista, esquerdopata, o véi da Havan…esqueceram até mesmo das pelejas políticas de suas cidades.

Eu preferia, à época, assistir os movimentos da Rosa da Fonseca e Maria Luíza, quando ainda residia em Fortaleza e gritava “Fora FMI” na praça da imprensa, mesmo sem saber do que se tratava, tal qual bolsonaristas pedindo o fechamento do STF em Brasília.

E o trânsito em suas cidades? Em Fortaleza hoje promoveu-se pela manhã um ato denominado de o “Dia D Sem Carro” e sugere que todos andem mais de bicicletas, igualmente, aos meus amigos Drs. Marcos Barreto e Iran Santos e, dessa forma, não tem engarrafamento nenhum.

Que maravilha, façamos o mesmo.

E o querido senador Cid Gomes? Segundo Macário Batista, retorna hoje de Brasília ao Ceará. O veterano jornalista, propositalmente, não explicou em suas poucas linhas o que quis afirmar, mas deixou a pista para quem entende um pouco do riscado.

Pois bem, vejam que muito pouco tenho a informar!

Então, façam-me um favor: fotografem Bolsonaro, se possível em um Lambe-Lambe do Central Park na Terra do Tio Sam e, na mesma oportunidade, perguntem pra ele se fazendo Arminha ou gritando Globo lixo e dando mais três pulinhos de que Olavo tem Razão, podem-se baixar os preços da gasolina, gás de cozinha, energia elétrica e a cesta básica?

De qualquer forma, acho melhor assistir as lives do Bebel do Icó, direto da Calçada Federal no Largo do Théberge, onde ele acredita que está tudo as mil maravilhas e ainda vai melhorar, mesmo nesta ensolarada quinta-feira registrando o TBT mais famoso dos últimos dias:

- "Carluxo é o chefe não só de uma organização criminosa direto do gabinete do ódio e das fakes News, mas também das rachadinhas e lavagem de dinheiro”.

Fui...!

(Por Fabrício Moreira da Costa, advogado e contista).

85 anos



O matutino cearense, Jornal O Estado, atravessa os tempos com a mesma coragem do seu desbravador. Vibrante, audacioso, informativo, e com opiniões diversas que chamam o cidadão à leitura. Jornal impresso é a história viva do nosso povo e chegar até aqui, em tempos de virtualidade, não deve ter sido nada fácil. Parabenizo o amigo Pompeu Macário Batista - colunista de política e cotidiano -, por nos alimentar de notícias do Iapoque ao Chuí. E ao Dr. Ricardo, Soraya Palhano e família por toda perseverança!

quarta-feira, 22 de setembro de 2021

Deputado quer base do Corpo de Bombeiros em Icó



O Deputado Estadual Oriel Nunes Filho na última terça-feira (21) a tarde esteve na sede do Corpo de Bombeiros do Estado do Ceará, em Fortaleza, juntamente com sua chefe de Gabinete, Jequélia Alcântara, onde foram recebidos pelo coronel comandante-geral, Ronaldo Roque de Araújo.

"Expomos ao comandante a situação da região do Vale do Salgado e da necessidade urgente de termos uma Base do Corpo de Bombeiros localizada em Icó. Entendemos que falta mais pessoal à corporação para atender a grande demanda reivindicada em todo o Estado", disse o deputado.

A preocupação não é tão-somente com as queimadas que atingem a região neste período do ano, mas de forma geral, pois tem centenas de prédios históricos em Icó e também a falta desse equipamento público importante para cobrir e proteger outros setores da sociedade.

Na oportunidade, o Deputado Oriel Nunes Filho recebeu do comandante coronel Ronaldo, a comenda de "Deputado Amigo do Corpo de Bombeiros".

O DNOCS tá maus; o Icó, não.



Disso não há dúvida. O DNOCS, nosso querido e centenário produtor de desenvolvimento do Nordeste devagar foi sendo largado a um poço profundo, mas é tão grande, sua história e memória se confundem com cada passo que demos por aqui.

Não cabe no poço que lhe cavaram. À sua frente teve gente brilhante, criativa, produtiva, capaz, empreendedora, lutadora pelo órgão.

Pois bem; o DNOCS ainda hoje, aos trancos e barrancos é que pode salvar municípios, contribuindo para a vida cearense, por exemplo. Pouca gente sabe que o DNOCS é dono do Icó.

No entorno e no centro do núcleo habitacional do município, na sede do Icó tricentenário, o DNOCS espalhou os tentáculos de seus canais de irrigação, hoje abandonados. Mas Icó precisa crescer.

Laís Nunes, primeira prefeita do Município foi pra guerra:

- "Nós precisamos do que o DNOCS se fez dono", argumentou.

E bateu com os costados na sede. Pediu chão do DNOCS pra Universidade Federal. Pediu terras do DNOCS para o Horto do Senhor do Bonfim. Pediu terras do DNOCS para com o Governo do Estado construir um aeroporto. Pediu terras para criar um distrito industrial e atrair geradores de trabalho e renda. Pediu terras para ampliar o Hospital Regional.

Levou gente com ela, pra testemunhar seus pedidos e protocolou cada reivindicação. De quebra pediu que o Ministro Rogério Marinho, onde o DNOCS está hoje escorado, libere o Icó para crescer nas terras que o DNOCS há muitos anos assumiu e depois abandonou.

É um pedido, uma reivindicação, um apelo lógico e relevante à vida das cidade.

O DNOCS nunca atrapalhou, não o faria agora!

(Por Macário Batista, do Jornal O Estado).

terça-feira, 21 de setembro de 2021

PEIXADA DO ZECA EM ICÓ

 


Outro dia passei por Lima Campos. Lima Campos é distrito de Icó e fica nas beiradas do açude Orós. Ali, faz bem meio século, o Zeca montou um restaurante a que deu o nome de Peixada do Zeca onde há um rodízio de tucunaré, um peixe fabuloso que vem das águas de ali. 

Limpo, bem tratado, cuidadosamente servido, a gente come que cai de costas na Peixada do Zeca. Saudável, o peixe da Peixada do Zeca é cuidadosamente escolhido e servido de formas diversas, como costumamos atacar, meu amigo Fabrício Moreira, o amigo Neto Nunes, deputados e jornalistas que, quando voltam pra Fortaleza via Iguatu, de avião, trazem pra casa o jantar quentinho da Peixada do Zeca.

Cavalos Paraguaios



Há 6 anos, levado pelos ventos fortes do Aracati que, precisamente lambem as pesadas telhas dos nossos Sobradões e Casarões da Ribeira do Salgado dos Icós todos os dias, às 21h, o meu amigo jornalista, repórter e editor de política e cotidiano, Macário Batista, esteve em Icó para cobrir um evento liderado pela jovem Laís Nunes, então deputada estadual eleita, à época, por quase 50 mil votos dos cearenses e com resultado que foi um recorde no torrão icoense até os dias atuais.

Era a 3° edição do Projeto o "Parlamento na Comunidade"; ele buscava ouvir as pessoas, debater ações e ideias, mas também dizer o que já tinha feito até ali.

Laís percorria comunidades e bairros. Com educação e respeito para com todos; nunca precisou gritar pra ser ouvida; insultar pra chamar a atenção; tripudiar pra mostrar poder e nem ter o rosto sisudo pra distanciar os seus e outros que estavam chegando.

A política se constrói com trabalho, debates, argumentos sólidos e possíveis, mas precisamente com vocação para a missão que se propõe.

Ninguém compra na bodega da esquina o carisma; a benquerença das pessoas, a disposição e os sonhos de quem somados ao bem comum procura realizá-los.

O sol nasce pra todos! Mas nem todos são os escolhidos. Eleições estaduais só ocorrem em outubro de 2022. Mas já tem gente que se lançou pré-candidato à prefeitura de Icó pra 2024 e 2028 e tem até quem, tal qual mãe Dinah, elegeu todo mundo em suas listagens de apostas.

Certa feita, afirmei para o meu amigo de infância, Luciano Santana, que a política, às eleições e poder público, não são feitos fáceis de se administrarem como muitos acham e que não é o céu nem o inferno que separa um dos outros nesses assuntos.

Porém, para ir pro céu tem que morrer antes, é bíblico!

Portanto, como estamos todos vivos, em que pesem o Covid-19 e a seca que se agrava, deixem o pleito chegar ao seu tempo, hora e ano, pra não ser chamado de Cavalo Paraguaio em tempos de calmaria.

Boa noite a todos; vou agora assistir o querido amigo de infância e ativista político, Bebel do Icó que, direto da Calçada Federal, manda avisar que se prepara também pra ser Deputado Federal, Estadual, Prefeito e se brincar, substitui o mito à Presidência da República.

(Por Fabrício Moreira da Costa, advogado e contista).

segunda-feira, 20 de setembro de 2021

Histórias de João Peitaço



João Peitaço - homem decente e de família de bem do Icó - no passado não muito longe, gostava muito de beber e fazia, à época, parte do ativismo e da moçada que rodava as noitadas icoenses.

Hoje, apenas conta histórias que a memória do nosso Largo do Théberge comemora como fatos pitorescos, diga-se, para a eternidade.

Há uma década e mais alguns anos, conta-nos João que em um domingo próximo do final do ano, estava no entardecer quente de nosso torrão tomando umas no barzinho do Lalado Costa (Porca Pelada), na rua General Piragibe (Rua do Meio).

De repente, chega ao bar do Lalado, uns 4 rapazes.

- "Seu Lalado, o senhor agora está nesse bar da Rua do Meio?".

Lalado, com a bruteza natural, devolveu a pergunta:

- "E vocês estão onde, seus pentelhos?"

Os papudos que Lalado não os conhecia explicaram:

- "Seu Lalado, nós estamos na Igreja de São José, rezando e orando, mas como a missa está demorando demais nós estamos aqui em seu barzinho e na igreja também".

Lalado, nervoso com a resposta, apenas perguntou "quem era o Jesus Cristo dos quatros para estarem em dois locais ao mesmo tempo e hora".

(Por Fabrício Moreira da Costa, advogado e contista).

MACARRÃO AMIGO



O que dizer sobre o amor e esperança, esses sentimentos que mexem com a gente e tornam nossas vidas mais belas?

É verdade que nem tudo são flores, mas têm benfeitores que trabalham de forma voluntária e que transformam a dureza da vida de muitos em gestos grandiosos de solidariedade.

Assim, na prática, é a turma boa do projeto social "Macarrão Amigo" que, na última quarta-feira(15), chegou à sua 77° edição.

Freitas Júnior, Fábio Felle, e tantos outros benfeitores merecem todo o nosso respeito e entusiasmo.
O Brasil tem jeito; basta

seguirmos bons exemplos!

(Por Fabrício Moreira da Costa, advogado e contista).

Do Sertão à Cidade



A prefeita Laís Nunes, com serenidade, inteligência e perspicácia, montou uma equipe jovem - outros mais maduros um pouco - para ajudá-la na gestão municipal de Icó, sempre compartilhada com diálogo, senso de responsabilidade e espírito público.

Ontem, na reunião com o secretariado e demais colaboradores, percebi facilmente o desejo de cada um buscar para suas próprias mãos a responsabilidade para com à coletividade, com o bem comum, igualmente, na confecção de projetos, obras e ações que devem melhorar a qualidade de vida dos habitantes de nossa tricentenária cidade.

Trabalhar no serviço público, ainda envolto e que blindado de muitas solenidades e burocracias, não é para quem tem pouca coragem.

As adversidades e os desafios constantes requerem de todos os colaboradores que militam na ambiência pública uma trincheira sempre disposta e altiva para lutar diariamente.

O apoio incondicional da Câmara de Vereadores; do Governador de todos os cearenses, Camilo Santana; da sociedade em sua quase totalidade; das parcerias públicas e privadas com as instituições....

...Com o apoio dos representantes do Icó na Assembleia Legislativa, Deputado Estadual Oriel Nunes Filho e do Deputado Federal Domingos Neto, em Brasília, fez com que a prefeita Laís Nunes assinasse um grande números de convênios.

São convênios de obras e projetos em todas as áreas de atuação chegando e que serão distribuídas do Sertão à Cidade icoense.

Como diz o poeta português que bem define esse novel momento em Icó:
- "Muito vale o que já feito, mas vale o que virá".

(Por Fabrício Moreira da Costa, advogado e contista).
- Fotos: Perpétua Sousa.

OSTENTAÇÃO? NEM TANTO!



Soube que o Conselho da OAB Federal publicou um novo provimento que regulamenta a proibição de ostentação nas redes sociais de advogados.

E tome mi mi mi nos grupos do Iapoque ao Chuí...

Após algumas gargalhadas de praxe - tenho excelente autoestima e senso de humor elevado -, lembro para alguns que a minha OAB nas vezes que precisei nos últimos 30 anos, sempre foi o meu mestre e muito querido amigo dr. Paulo Quezado/Guedes que me ajudou.

No mais, em relação a mim, se quiserem censurar meus 400 causos do livro "Humor com Inteligência"; eu comendo panelada da Nila no Mercado Central do Icó; minhas fotos do Patrimônio Histórico da Ribeira do Salgado dos Icós; discussões com José Luiz, o Cururu de Lima Campos e C...de Apito ou tomando minhas cervejas skol geladas no Sobrado do Barão, sintam-se a vontade.

No mais, vão procurar o que fazer que fica menos ridículo, pois nem anel de formatura eu uso, pra evitar a pose de alguns pra ser chamado de doutor a todo custo.

Muito obrigado; de nada!

Sou simplesmente, Fabrício, ora bolas!

Prefeita Laís Nunes assina Ordem de Serviço na Lagoa dos Milhomes



A prefeita Laís Nunes assinou na manhã deste domingo (19) Ordem de Serviço de Praça Pública na comunidade rural de Lagoa dos Milhomes no distrito de Pedrinhas.

O equipamento será localizado no centro da comunidade de Lagoa dos Milhomes e terá pavimentação em intertravado em todos os seus arredores e acessos.

"Está Praça moderna será um local de encontro dos munícipes de toda região. Os jovens terão agora um espaço decente para os seus encontros", afirmou o vereador Fernando Nunes, presente na solenidade.

"Estão de
parabéns
a gestão e a prefeita Laís Nunes. Eu desconheço quem fez mais por nossa Serra do Camará como os Nunes, com ações em diversas áreas", disse o líder comunitário, Chico de Varelo.

Além da prefeita Laís Nunes, estiveram presentes o líder político Neto Nunes; o Deputado Estadual do Estado do Rio Grande do Norte, Raimundo Fernandes; prefeito de São Miguel, Célio de Elizeu. Os vereadores Fernando Nunes, Kaikton da SUCAM, Daniel Guimarães e Verineide Andrade.

Secretários Galeguinho do DNER, João Marcos, Ana Glessy e Aurineide Amaro; lideranças comunitárias Galego de Abdias, Chico de Varelo; Assessores Municipais Fifia Moura, Gracinha Ferreira, Sindy Oliveira, Dr. Marcos Barreto; procurador Dr. Fabrício Moreira; vereadores de São Miguel, dentre outros.

Foto: Perpétua Sousa.

O ICÓ QUEIMA



Como todos já sabem, inclusive escrevi artigo para o Portal Opinião acerca do assunto que, neste período do ano e principalmente no semiárido nordestino, aumenta sobremaneira as queimadas em nossos sertões.

- Os motivos são vários; desde a seca que agrava na região, idem, como fator natural e também humano.

No Ceará, salvo melhor juízo, temos apenas 13 bases do Corpo de Bombeiros, pasmem, para 184 municípios espalhados no Estado.

Tanto a prefeita Laís Nunes, igualmente o Deputado Estadual Oriel Nunes Filho, já apresentaram pleito nesse sentido, ou seja, trabalham por uma base definitiva do Corpo de Bombeiros para o Icó, mas que sirva também a toda região do Vale do Salgado.

Para quem não sabe, o município de Icó não tem em seu ordenamento jurídico administrativo essa atribuição, muito menos como bancar do seu escasso FPM - Fundo de Participação dos Municípios, mas um equipamento público de vultosos investimentos.

Essas discussões são bem definidas e claras.

Além do pessoal do Corpo de Bombeiros do centro sul, da SUDEMA - Superintendência do Meio Ambiente do Icó, Defesa Civil Municipal, Bombeiros Civis e voluntários, o Deputado Estadual Oriel Nunes Filho articulou com o Governo do Estado para que os helicópteros da CIOPAER também colaborem, em Icó, ajudando no combate às queimadas/incêndios.

E assim tem sido feito!